– mas e a vida?
-uai, vai bem!

será que é assim mesmo?
maravilha, sofrimento, lamento.
só momentos.
bons. ruins. vazios.

viver, e não ter a vegonha de ser feliz.
ter vergonha da violêcia, falta de respeito e inveja.
que não te deixam feliz.

cantar. sorrir. dançar.
três coisas boas a se fazer.
assim como pular!

viver. 😉

Anúncios

24 de novembro

agora sim.
querendo escrever, e não dava, muito ruim isso.
comecemos então.

há uma hora mais ou menos tive uma recordação. há exatos nove anos me formava no ensino médio, e começava a trabalhar.
no dia 24 de novembro de 2001, fui chamada no que viria a ser meu primeiro (e muito divertido) emprego.
lembro como se fosse ontem.
faltavam ainda quinze dias para terminar o terceiro ano, “pendurada” em química, e ansiosa para saber o que aconteceria comigo daquele ano para frente.
eu já sabia o que queria, já havia definido que jornalismo seria minha primeira opção nos vestibulares da ufmg e da funedi. minha segunda oção seria história.
bem, naquele 24 de novembro, às vérperas do final do ano letivo, fui chamada na bee bop discos, que existe até hoje, lá na rua goiás, uma das poucas lojas de discos que ainda existem e sobrevivem por aqui.
naquele dia resolvi tudo: tirei a carteira de trabalho, nela foi feito o registro e no dia seguinte, dia 25 de novembro, comecei a trabalhar. naquela época a bee bop fez uma parceria com o supermercado abc e tinha três lojas dentro deles: na 1º de junho, na 21 de abril e no hiper. meu primeiro dia foi no hiper, trabalhei de 15h as 22h. era só o início do que seriam meus horáro de trabalho por pelo menos 6 anos.
depois fui transferida para a loja da primeiro de junho. lá, em apenas 4 meses, que foi o tempo que permaneci naquele lugar, aconteceram coisas que mudariam o rumo de minha vida. lá conheci meu amor, que hoje é meu noivo. mas as coisas não foram assim, tão fáceis.

logo depois que saí do ensino médio fiquei um ano sem estudar. resolvi fazer cursinho, já que prestaria vestibular, seria bom relembrar tudo que já havia esquecido e que hoje não faço ideia do que seja (péssimo isso). estudei nos últimos seis meses de 2002. prestei os dois vestibulares no final do ano. não tive coragem de pegar o resultado da federal. mas sim o da funedi, que era minha favorita. passei. seria uma universitária. mas, ao mesmo tempo que estava feliz, percebi que não teria grana para bancar. bateu um desespero. mas nunca pensei em desistir. a positividade é meu ponto positivo. pleonasmos a parte, consegui a grana para fazer a matrícula (parte do meu trabalho, parte do meu padrasto) fui viver o sonho da faculdade. estudava de manhã, começava as 07h ou 07h50. ficava até umas 12h ou 12h30, ia correndo para casa (sorte que moro pertíssimo da funedi), almoçava super rápido, tomava um banho e seguia para o trabalho.
fiquei nessa por três anos, acho.
minha vontade de estudar era tanta que consegui o fies no final daquele ano.

em janeiro de 2002, beijei o thi, pela primeira vez. dia 20. foi numa festa do trabalho, na época ele era repositor, eu era promotora. o ruim de ter sido promotora é só por causa da fama, ruim, muito ruim. mas enfim, isso não vem ao caso.
em abril começamos a namorar, pela primeira vez. duraria até dezembro do mesmo ano.

continuei trabalhando e estudando e trabalhando e estudando e trabalhando e estudando.

no início de 2004, meu patrão resolveu me transferir do hiper (nesta altura havia dois anos que estava lá) para o goiás shopping (alguém se lembra??). a bee bop tinha uma loja lá. este lugar marcou uma nova fase de minha vida.

o horário era um pouco melhor, já que eu parava as 21h. e neste lugar aconteceu o que, para mim, era impossível de acontecer: meu namoro com o thi ser retomado, depois de dois anos. pedi um tempo para pensar e, claro, já sabia a resposta que daria. dia 24 de novembro foi o dia escolhido. mais uma vez 24 de novembro.

e desde então estamos juntinhos, graças a Deus. já se passaram seis anos. nos conhecemos a oito. é um tempo interessante.

no final de 2004, a lojinha lá no shopping fechou e, em consequencia, eu perdi meu emprego na loja de cds. era muito boa aquela época. ouvia todos os lançamentos em primeiríssima mão. pena que não tinha twitter ainda, teria sido interessante. o blog eu fui ter só dois anos mais tarde.

depois que saí da bee bop, comecei a fazer estágio. ficava na funedi o dia inteiro. estudava de manhã e a tarde, e as vezes à noite, fazia estágio. o ano era 2005. era o início do programa música ambiente. já se passaram 5 anos do primeiro programa. passamos muitos “perrengues”, mas aprendi muito fazendo este programa. nele tive boas e más experiências. nele também tive a certeza de que estava no caminho certo.
mas, no fim do ano, o dinheiro do fundo de garantia e do seguro desemprego estava acabando. e eu precisava continuar na faculdade.
em abril, dia 21 de 2006, consegui o que seria meu segundo empregona carteira: na pão de mel, no alto da primeiro de junho. voltei aos horários ruins, mas o salário era melhor. e eu comia muito.
naquele lugar fiz bons amigos.
fiquei lá por onze meses, até que fui chamada para um outro estágio. era março de 2007, começaria o programa roda da saúde. eu seria a produtora e depois me tornaria a editora do programa.
fazer esta escolha foi o que mudou tudo o que aconteceu depois.
saí da padaria (em partes, porque continuei trabalhando como folguista nos finais de semana). comecei no estágio.

em julho de 2007, eu era estagiária do laboratório de tv da funedi, atuava no programa roda da saúde e, mais uma vez, no programa música ambiente. em julho também, eu apresentei meu tcc. era o início da revista atellier. tiramos 90. eu achei pouco e injusto pelo nosso esforço. agora, em 2010, estamos às vésperas do lançamento do nosso site.

no final daquele ano eu me formaria. continuei o estágio até dezembro de 2007. no dia 2 de janeiro de 2008 fui contratada como técnica do laboratório de tv. dia 11 de janeiro foi minha colação de grau. o primeiro dia que me deu frio na barriga daquele ano. o segundo, foi dia 14 de junho, dia em que fiquei noiva. fizemos um plano para ser executado em quatro anos. nosso prazo vence em 2012. tem muito chão ainda.
 

desde então, passaram-se dois anos. hoje sou coordenadora dos laboratórios de comunicação da funedi. a responsabilidade é grande. estou comprando minha casa, e do thi. ele hoje é funcionário público, depois de muitos empregos difíceis e com péssimos horários. hoje estamos vivendo uma boa fase.

quanto mais o tempo passa, mais fico feliz pelo percurso até aqui. não dá para escrever em detalhes, mas foram noites e noites domindo muito tarde, porque tinha que estudar. ganhando muito pouco. o suficiente para pagar a faculdade e olhe lá. mas todo o esforço foi válido. sei que ainda estou no inicio da estrada, ainda tenho muito chão para percorrer, mas até aqui tudo correu bem, com Deus, minha mãe e minha irmã sempre ao meu lado. hoje eu acrescento o thi. meu amor sempre, apesar dos problemas dos relacionamentos de longa data. posso dizer que nove anos depois do início de tudo isto estou muito feliz. e falta pouco para minha vida ficar ainda melhor. quando acontecer, eu conto aqui.

bjos.

Grilos

Se você passar daquela porta
Você vai ver
Como é que são as coisas
Como é que estão as coisas
Sei que o mundo pesa muitos quilos
Não me leve a mal se eu lhe pedir
Para cortar os grilos
Guardar os grilos
Cortar os grilos
Guardar os grilos
Aí, então, você vai se convencer
Que se o mundo pesa
Não vai ser de reza
Que você vai viver
Descanse um pouco
E amanheça aqui comigo
Sou seu amigo, você vai ver
Sou seu amigo, você vai ver”

erasmo, marina, samuel.

– eu tinha que registrar esta música aqui, no dia de hoje. amei imensamente esta composição. amei tanto que postarei aqui mesmo, na página principal! 
– fechem os olhos e imaginem.