o primeiro dia

e eis que chega dia 31.
mas não é qualquer 31. é 31 de dezembro.
último dia do ano de 2010. e nesse caso, último dia da primeira década do século 21.
século (e década) que começou cheio de expectativas.
mas que, em parte, pelo menos para mim, se cumpriram.
a década termina para mim como, talvez, eu tivesse pensando naquele longínquo ano 2000.
aos 17 anos, pensava no que me tornaria.
para aqueles que me olham de longe, talvez não tenha mudado muita coisa.
muitos que estão próximos, não queria que tivesse mudado.
mas mudei.
para melhor (na grande parte), e para pior também. ninguém é perfeito.

amanhã, dia 1º de janeiro de 2011. 1º dia de um novo ano. 1º dia de uma nova década. 1º dia do resto da vida de muita gente. inclusive da minha.
mas todos os dias sempre são os primeiros de alguma coisa. só que muitos não dão a devida importância.
preferem pensar que uma contagem regressiva mudará suas vidas para todo o sempre.
o que muda é a hora.
e  mesmo assim a hora muda errada.

desejar, viver, sonhar, persistir deve ser diariamente. pensar que tudo se resolverá num segundo é bobagem.
como já dizia o poeta, os sonhos não envelhecem. não envelhecem pois o amanhã não existe. por isso renove-os todos os dias.

todos os dias. não espere o último dia do ano para ter esperança. não espere o primeiro dia para fazer alguma coisa. faça. sempre. todos os dias serão sempre os primeiros. o amanhã não existe. por isso faça. aja. viva. e sonhe. muito.

que em 2011, todos os dias sejam o seu dia!

beijo.

Pessoal da Comunicação da Funedi/Uemg. A partir da esqueda, atrás: Marcos, Arnaldo, Marcela, Ana Lúcia e Marlon. No meio: Daniela, Bruno, Claudinei, Mariah, Isabella Bagni, Fabrício, Fábio, Marina.
No chão: Isabella Santos, Max, Wellington, Wanderson, Manuela e André.
Na foto estão faltando Elvis, Fred, Thais e Ramon.
E ainda o Gabriel, Tatiane e o Pablo que não participaram do amigo oculto.

Abraços.