viver na corda bamba, com medo de que alguém desate o nó, e você caia.
se equilibrar na própria sombra,  cair no centro do seu inconsciente.
no oco mundo desconhecido, das tramas cotidianas, dessa louca teia de tempo.
fragmentos de realidade. fragmentos de mim, presos do outro lado do espelho.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s