daquelas vontades antigas, debaixo do pé de manga.
a cada fruta que caia, corria um sonho.
a cada sonho que fugia, sumia a lágrima.
uma única gota, salgada.
nada mais, daquele tempo, ressurge.
tudo se finda num pedaço de papel branco.
ontem, tinha algodão doce no céu.
pude ver nas nuvens.
as lágrimas deixaram de ser ruins.

deixa chegar o sonho, para que tudo volte naquele primeiro instante.
instante aquele que chorei, me vi no mundo pela primeira vez.
depois do início muita coisa aconteceu:
corri, caí, me machuquei, melhorei, sorri, beijei, chorei novamente, cresci.
hoje vivo de lembranças dos, hoje, últimos 29 anos.
lembranças que compõem cada parte de mim.
hoje parei, respirei e pensei em tudo, tudo o que me aconteceu.
e me deu saudade do que virá.
aguardarei os próximos capítulos, os próximos 29.