Conheça o blog Primeira à Esquerda

Então, como disse na sexta passada, hoje vou escrever sobre um blog que tem mudado minha relação com a fotografia.

Tudo começou em fevereiro do ano passado quando meu amigo André Camargos me apresentou ao #desafioprimeira, criado por Luh Testoni, dona do blog Primeira à Esquerda. Eu já falei sobre este desafio em algum lugar aqui do blog.

Enfim, desde março de 2014 participo todos os dias do desafio, que consiste em uma lista, publicada no dia 20 de cada mês e, para cada dia, a Luh nos dá um tema e, com o tema em mãos, nós fotografamos. A interpretação é livre e a criatividade também.

instagram

A maioria das fotos do meu instagram são para o desafio.

Este desafio já me rendeu até prêmio, hahahahaha, já que em agosto do ano passado eu ganhei uma caneca lindona com a marca do blog, valeu Luh.

eucaneca

O desafio é bom porque me ajuda a melhorar o meu olhar fotográfico, além de me fazer queimar a cabeça para conseguir a foto do dia. Tem tema que é difícil, mas, depois de um ano, já faz parte da minha rotina e tirar as fotos, e postá-las no instragram, é tão natural que eu nem percebo.

Outra coisa bacana do #desafioprimeira é a interação entre pessoas de diversas partes do Brasil, e até do mundo. Através das publicações podemos conhecer o cotidiano, os gostos, o trabalho de outros participantes. Cria-se uma relação muito bacana entre o grupo.

O blog Primeira à Esquerda tem como foco principal a fotografia. Luh Testoni é a responsável pelo conteúdo e recebe a colaboração do fotógrafo Fábio Carvalho, que nos fala principalmente sobre fotografia de rua. Entre dicas de equipamentos e apps, a Luh nos apresenta, a cada semana, suas fotografias na rua, em casa, com seus toys fofíssimos, e dicas muito boas para quem quer treinar o olhar fotográfico.

Mas, o blog Primeira à Esquerda não se restringe à fotografia. A série “Blogando” apresenta dicas importantes para quem já tem ou quer ter um blog. Esta série abriu minha cabeça para a reestruturação deste blog que você lê. Eu ainda estou no início das mudanças, tentando entender meu público, mas a série me ajudou muito. Luh, valeu de novo 🙂

Então, para quem quiser dicas de fotografia ou pretende estruturar (ou começar) um blog, conheça o primeiraesquerda.com. E participe do #desafioprimeira, a lista de março já esta acontecendo e dia 20 sai a lista de abril.

desafioprimeira-Março

Of Monsters and Men

Gente, eu adoro culinária. E, saber cozinhar, é questão de prática e amor (mas, sem sazón, pfv).

Enfim, numa de minhas andanças à procura de programas legais de culinária, encontrei o Cozinha Prática, que é exibido no canal GNT. Me apaixonei logo de cara pelas receitas que eram apresentadas, de fato, de forma muito prática e que me fizeram tentar mais na cozinha. E começou a dar certo.

Mas, além da comida, o que me chamou a atenção no programa foi a trilha sonora, que traz clássicos nacionais, internacionais e, também, novas bandas. Foi assistindo ao CP que eu conheci a música “Numb Bears”, da banda islandesa Of Monsters and Men.

Achei a banda muito boa e ouvi em looping, durante dias, o disco My head is an Animal, de 2011. E, além deste, conheci também o Live from Vatnagarðar, um EP ao vivo lançado em 2013.

E, apesar do hiato de quase dois anos, parece que novidades estão por vir: hoje, a banda postou em sua página no Facebook um teaser do single Crystals que será lançado no dia 16 de março.

omam-bg

(Imagem: Reprodução do site oficial) 

Breve histórico: A banda foi formada em 2010 e lançou seu primeiro disco em 2011. Após o lançamento, fizeram uma longa turnê mundial que incluiu o Brasil, durante o festival Lollapalooza, de 2013. Também em 2013, a banda lançou a música “Silhouettes”, que fez parte da trilha sonora do filme “Jogos Vorazes – Em chamas”.

 Acesse o site da banda e acompanhe as novidades: ofmonstersandmen.com

[Atualização 10/3/2016: No dia 8 de junho de 2015 a banda lançou seu segundo álbum, o Beneath the Skin. O álbum alcançou o número 3 na Billboard 200, vendendo 61,000 cópias na primeira semana. (com informações da wikipedia)].

download

Até a próxima 🙂

Mira Cerviño

Se a referência é boa, precisa-se estudá-la com muito afinco, cuidado e respeito.

Conheci o trabalho da Maria Paula Cerviño através do casamento da Clara e do Felipe. A Clara era professora na instituição em que eu trabalhava e, quando vi, achei tudo fantástico. As fotos, os vídeos, o cuidado em transformar aquele dia em imagens tão tocantes, emocionantes e tão bem cuidadas. A experiência em ver foi tão boa que tive vontade de conhecer mais, e melhor, o trabalho da equipe de Mira Cerviño, que é, basicamente, formada pela Mira (Maria Paula), o Pedro Gonçalves, seu parceiro na vida e no trabalho, e mais um terceiro fotógrafo, freelancer. Dessa forma, “trabalhando com uma equipe pequena a gente consegue passar quase despercebido pelo casamento o que nos ajuda a conseguir registrar cenas espontâneas”, explica Mira.

Mira e Pedro

3-mira-pedro-9-3-15

O trabalho é lindo, e a proposta inovadora, já que a ideia é produzir vídeos curtos, de até 15 minutos.
“Com uma edição moderna e a atenção voltada pros detalhes e pras sensações, vamos contar a sua história de uma maneira encantadora.”  E, para conseguir captar todo esse momento, de forma tão natural, eles buscam conhecer melhor o casal para o qual prestarão o serviço: “Gostamos de conhecer os noivos a fundo e deixamos que eles nos conheçam. Abrimos a porta da nossa casa e deixamos a história entrar”.

As fotos também são lindas. Para isso, elas são feitas sempre utilizando a luz natural, fora do estúdio, livre. E o mais legal, eles respeitam o estilo e perfil do casal. Seja tímido ou “atirado”, a foto sairá da maneira que vocês quiserem.

E é assim, trabalhando com muito amor e com um olhar refinado, que eles conseguem guadar para sempre o seu “sim”.

Bem, melhor que falar é mostrar, veja algumas fotos e, ao final, o teaser do casamento da Clara e do Felipe:

Clara e Felipe (os culpados, rs)

3-mira-pedro-foto-2-9-3-15

clara-e-felipe_blog-24 clara-e-felipe_blog-40

Outras fotos e casais:

3-mira-pedro-foto-1-9-3-15

Lili_site_miracervino-1-900x600

miracervino_paulaemoreno-38

Curiosidade: lembra do projeto continuecurioso, que falei na última postagem, apresentando a nova série Ramo? Então, a Mira fez o casamento da Mariana (olha a coincidência, haha), mas não através das fotos e vídeos, ela produziu toda a papelaria que aparece no video, além de toda a decoração do casamento, “até aquela plaquinha de madeira, fui eu que escrevi, rs”. Isso demonstra o cuidado e o conhecimento que ela, e sua equipe, tem sobre este momento tão importante na vida de tantos casais.

Para conhecer o trabalho da Mira Cerviño e visualizar outras fotos e vídeos, acesse o site: miracervino.com

Até segunda, com outra referência.

Abraços, 🙂

continuecurioso

Se tem uma coisa que tenho pesquisado ultimamente é sobre empreendedorismo, vocação, inovação. E no meio das minhas buscas encontrei histórias interessantes. Pessoas que utilizam a internet como forma de apresentar o trabalho ou, até mesmo, fazê-lo todo ali, seja através de ações inovadoras, posturas enriquecedoras ou criações e ideias que podem sim fazer toda a diferença.

Muitos desses exemplos encontrei no hypeness, um site belíssimo e criativo, que sempre apresenta ideias criativas e inovadoras de diferentes setores da sociedade. Tem sempre uma boa inspiração. Mas sobre o hypeness falarei outro dia. Na verdade, me lembrei do hypeness porque foi lá que vi, pela primeira vez, uma postagem sobre o projeto continuecurioso, que foi criado pela dupla Juliana Mendonça e Cristiane Schmidt, que são as carinhas que sempre aparecem nas entrevistas. Elas contam, também, com a ajuda de uma grande equipe das áreas de vídeo, fotografia, música, design, entre outros talentos. Como no próprio site diz “o continuecurioso vê, entende e compartilha o potencial de mudança das pessoas.” E este é justamente o mote deste projeto. Ele nos apresenta, a cada semana, uma nova história, um novo projeto, de pessoas que resolveram investir em seus sonhos, investir nos trabalhos que acreditavam que poderiam fazer a diferença. Inclusive, os criadores do hypeness já contaram sua história lá.

No início da semana passada, nos foi apresentado o primeiro vídeo de uma série, na verdade pode-se dizer que esta é a segunda temporada, em que é apresentado um “Ramo” de trabalho. Na primeira temporada a equipe do continuecurioso acompanhou dois sócios que resolveram abrir um negócio, o Mandíbula. Dessa vez, a história é sobre o início dos negócios do “Conto de Noiva“, da Mariana Prieto, uma designer, que nos conta a história de como começou o seu ramo, como foram suas escolhas, o seu trajeto e como é feito o seu trabalho. É inspirador.

Assista ao trailer:

Para conhecer melhor o projeto continuecurioso acesse o site: continuecurioso.cc

Para assistir mais histórias inspiradoras, acesse o youtube do projeto: continuecurioso

Isso aí, na próxima sexta falarei sobre um blog de fotografia que tem mudado minha vida, rs.

Abraços e até lá.

do amigo imaginário

Quando eu era mais nova, tipo bem mais nova, eu tinha um amigo imaginário que me acompanhava por todo o lugar. Escola, quarto, banho, mesa. Onde eu estava, lá estava ele falando no meu ouvido coisas que me faziam rir sozinha, brincar sozinha, pular sozinha. Mas, peraí: se ele estava comigo eu não poderia estar sozinha, né? Enfim, minha infância foi rica. Brinquei, pulei, subi em árvore, bebi leite fresquinho, que tinha saído na hora, peguei fruta no pé, joguei futebol, vôlei, peteca, queimada, pique- esconde e tudo o mais que eu poderia ter direito. Mas esta fase foi depois.

Depois que o amigo imaginário foi embora, eu resolvi fazer amigos de verdade. A escola até que me ajudou, mas os arredores de casa eram mais interessantes. O bairro inteiro era nosso parque, inclusive o pátio da faculdade vizinha. Nós pulávamos a cerca de arames e brincávamos no lote, que abrigava, além do nosso campinho, o gado da vizinhança. Sim, tinha boi, vaca, cavalo. Acho que era só. E era muito divertido. Os tempos se passaram, do amigo imaginário eu nem me lembrava mais, dos outros me afastei, talvez, por afinidade. Chega um momento em que é natural afastar-se de pessoas que antes eram próximas. Não por problemas, ou raiva, mas porque naquele momento não faziam mais sentido. Então, como disse, o tempo passou, e passaram-se muitas pessoas. Percebo, hoje, que poucos resquícios permaneceram daqueles distantes anos. Mas, quem resolveu voltar, ou melhor, acordar, foi o amigo imaginário da infância. Não pensem que eu sou como aquelas irmãs do filme Atividade Paranormal, tenho até medo disso, hahahaha, quem voltou fui eu mesma, a olhar pra dentro de mim e das vontades que eu tive em tempos remotos.

1-post-amigo-imaginário-4-3-15

Recomecei a prestar atenção nas pequenas coisas do dia a dia, nas minhas pequenas vontades e brincadeiras. Antes, era através do walkman ou do radinho de pilha que eu viajava, para todos os mundos possíveis. Depois, me descobri em livros. Hoje, aos 31, me descubro em livros, discos, blogs, filmes e músicas que me fazem viajar e rir em cada ida e volta, para mim mesma, todos os dias.

Os tempos se passaram, mas, as vezes, me vejo espiando a mim, perplexa, diante do espelho. Como se fosse Dorian Gray atônito diante do retrato pintado, com um segredo guardado. O reencontro com o amigo imaginário me trouxe muitas recordações. Mas, a principal delas, foi se lembrar de mim, do que eu fui, do que eu sou, e fazer planos do que serei. Por enquanto, me guardo em filha, irmã e esposa. Amiga de poucos. Poucos mesmo. Numa mão só dá pra contar, e sobram dedos. Mas, principalmente, voltei a ser amiga do meu amigo imaginário. Das minhas vontades e pecados, que só eu e ele saberemos, pra sempre.