Meu novo divã

Fico muito feliz quando, de repente, me aparecem coisas inspiradoras, ou diferentes, ou iguais a tantas outras que já adoro e melhoram meu humor, me fazem sentir abraçada. Foi assim quando li o livro 38 e meio, da jornalista, atriz, diretora de cinema e apresentadora de TV Maria Ribeiro. A cada palavra, a cada crônica, era estranho, mas eu me sentia presente naquelas cenas narradas por ela. E são textos tão intensos e tão pessoais, que dizem tanto sobre a vida da autora e de sua família, e de seu ponto de vista sobre o seu cotidiano. Ela narra tudo com tanta força e ao mesmo tempo com tanta fragilidade, que me fez (quase) chorar, algumas vezes, e refletir sobre a relação entre irmãos, entre pais, entre pais e filhos, casamento, amigos. E foi assim que me senti amiga de Maria, sem nunca tê-la visto pessoalmente. Ainda mais depois de descobrir que, assim como eu, ela é fã de Los Hermanos e lançará um documentário sobre eles no próximo dia 14 de maio.

Antes do livro, já concordava com cada palavra e achava graça de sua ironia no programa Saia Justa, que comecei a assistir veementemente todas às quartas e sábados, sem desgrudar olhos e ouvidos. O livro veio de presente e para sempre. Porque o programa um dia acaba, assim como a novela. Mesmo que exista o Youtube. Mas as palavras gravadas por ela nas páginas da revista TPM e no livro ficarão gravadas por todo o infinito, em minha estante, para futuras consultas e, quem sabe, troca de confidências. Será, sim, meu divã. 🙂

3812

reprodução do meu instagram (@_isabellamarques_)