london’s girls

oh my god! sim, chega a ser desesperador. hahaha, brincadeira, nem tanto. há pouco mais de quatro anos, eu escrevi sobre um vício que estava começando em minha vida. naquela época, em 2012, eu baixei e comprei os então dois discos (19 e 21) de adele, e pirei. pirei mesmo, surtei. não parava de ouvir, ficava baixando todos os vídeos possíveis do youtube. ela meio que me salvou da perda da amy, que foi uma coisa que mexeu muito comigo. ano passado, amy veio à tona novamente por meio do documentário homônimo, que agora concorre ao oscar e que já conseguiu vencer em outras premiações. ver de perto toda a história daquela menina, tudo o que ela passou, todo aquele talento desperdiçado, ou perdido, no meio de tantas desilusões, me deixou triste. para amy não fazia sentido estar aqui, esta é a conclusão que eu chego. mas o legado que ela deixou com seus dois discos (frank e back to black) me aliviam um pouco, mas é impossível não imaginar como teria sido se ela ainda estivesse entre nós. bem, infelizmente já são quase cinco anos sem amy winehouse.


eis que então, estou eu chorando ao assistir trailer e sempre ouvindo em looping as músicas de amy, encontro, novamente, a outra menina londrina. quando soube que adele iria, após quatro anos, lançar um novo disco, eu fiquei muito feliz, lógico. bem, eis que chega novembro de 2015 e tudo acontece. chega 25, hello, e toda a minha loucura de novo, hahaha. mas dessa vez, a loucura demorou um pouco para acontecer, e chegou nesta semana, a semana do grammy, a semana que muita gente falou mal. aí então, resolvi ouvir, ouvir e ouvir novamente. e voltei a baixar vídeos, e a fazer pesquisas, e a escrever aqui no blog sobre coisas minhas novamente. cara, acredito muito que 25 vai bater todos os recordes do 21, porque já bateu vários no primeiro mês de lançamento. assim como one and only é minha preferida do 21, all i ask é uma das mais fodas do 25. e mesmo os erros não conseguiram tirar o brilho dessa música e da apresentação. adele é adele e não precisa provar nada pra ninguém, né? por favor.

adele sempre me inspira. e amy também.