Livro: Pipocando

Vez ou outra escrevo sobre livros aqui no blog e, por isso, estou pensando em tornar isso uma editoria fixa por aqui, no ano que vem. Uma vez por mês eu escreveria sobre um livro qualquer que já tenha lido. Por enquanto, estou amadurecendo a ideia.

4

Bem, da última vez, fiz um breve relato sobre o livro lançado pela youtuber Jout Jout, neste post. Hoje, falarei brevemente sobre outro livro nascido a partir de um canal no YouTube: o livro “Pipocando – os bastidores do maior canal de cinema da América Latina”.

Sempre gostei de cinema, por isso, foi fácil gostar do canal. Eu o sigo há quase um ano e assisto aos vídeos publicados no canal semanalmente. Eu sempre gostei muito do conteúdo publicado, principalmente porque as crônicas e curiosidades apresentadas por eles fogem do senso comum. Eles sempre acrescentam um algo a mais, uma informação desconhecida.

1

Além do ótimo conteúdo, o que sempre me chamou a atenção foi o cuidado com a produção. Percebe-se que há sim uma equipe que cuida de todos os detalhes, desde a preparação do estúdio, às pesquisas e produção de roteiro até a maquiagem e figurino. Tudo é muito bem pensado e cuidado para que fique tudo certo no vídeo.

No livro, Rolandinho e Bruno Bock (os apresentadores do canal), falam sobre suas experiências, boas e ruins, que os fizeram trilhar o caminho que os levaram a criar o Pipocando, o maior canal sobre cinema da América Latina, com mais de 2 milhões de inscritos e mais de 200 milhões de visualizações. Estes números não são para qualquer um.

2

Portanto, o livro, de linguagem fácil e bem objetiva, dá dicas para aqueles que pretendem começar, ou já tem, algum projeto no Youtube e esperam obter bons resultados, o que inclui grana e reconhecimento. Na última parte do livro, inclusive, eles apresentam o “Manual de sobrevivência do youtuber“.

5

Enfim, é um bom livro para entender como se dá a produção de conteúdo para esta rede e para entender, também, este novo mercado de trabalho que tem crescido e atraído muita atenção, principalmente dos mais jovens, nos últimos tempos.

****

Livro: Pipocando (2016)

Autores: Rolandinho e Bruno Bock

Editora: Novo Conceito

6

Anúncios

Los Hermanos

Há exatamente um ano, eu e meu marido seguíamos para BH, para que eu pudesse realizar um dos meus maiores sonhos: assistir a um show do Los Hermanos.

(Fotos: Isabella Marques/Arquivo Pessoal)lh-1

Comecei a gostar da banda em meados de 2003. Já conhecia algumas músicas do primeiro disco e uma ou outra do Bloco do Eu Sozinho, o disco divisor de águas na carreira da banda e o responsável por prendê-los eternamente em meus fones de ouvido. Mas, foi quando eles lançaram o Ventura, que eu entendi o motivo pelo qual me emocionava todas as vezes que uma música dos barbudos tocava. Conversa de botas batidas é a música dos quatro que eu mais gosto e que está no Ventura. Me emociona profundamente. Aí depois veio o 4 e o fim. Quer dizer…

lh-4a

Desde o anúncio do fim da banda em 2007 os fãs alucinados, como eu, ficaram um pouco desesperados. Mas, como os meninos são legais, de tempos em tempos eles saem em turnê por algum motivo. O do ano passado foi o aniversário do Rio de Janeiro. Agradeço imensamente ao Cristo Redentor por ter nos ajudado nesta aí.

Bem, a ansiedade estava a mil naquela tarde de 23 de outubro de 2015 e chegamos em BH por volta de 17h. No hotel, dois amigos já nos aguardavam. André, amigo de longa data e fotógrafo. Ele teve tanta sorte que conseguiu credenciamento um dia antes do show. O outro era o Paulo. O Paulo também teve sorte porque os ingressos para o show se esgotaram num piscar de olhos e minha irmã havia desistido de ir ao show. Logo, Paulo ficou com seu ingresso.

Todos prontos, partimos rumo a Esplanada do Mineirão. A chuva tentou, tentou, nos fez comprar capinhas de chuva e, ainda bem, não caiu. Guardo minha capa até hoje. Queria saber se o Paulo conseguiu vender a dele. #entendedoresentenderão

antes-1

antes-2

Chegamos ao local do show por volta de 18h30. Como era horário de verão o tempo ainda estava claro. Nos sentamos um pouco e esperamos o público chegar. De repente, lotou. Por sorte estávamos na pista premium, um pouco mais confortáveis.

Por volta de 19h30, acho, começou o show de abertura: Pato Fu. Já havia assistido a alguns shows da banda e gostei demais, a banda é muito boa. O show durou no máximo uma hora.

pato-fu-1

Mais um pausa.

Quando as luzes se apagaram. Todos começaram a gritar, inclusive eu, louca, lá na frente, vendo aqueles quatro de perto. Vendo o Amarante, meu Deus. Foi emocionante. O Camelo eu já tinha visto no show da Banda do Mar, também em BH, em 2014.

lh-5

lh-8

lh-4

lh-6

Enfim, o show foi lindo. A noite foi linda, e aquele 23 de outubro de 2015 ficará em minha memória pra sempre. Principalmente, porque não conseguimos táxi pra voltar para o hotel e fomos andando, meio perdidos, até conseguirmos localizá-lo, por volta de 0h.

Pra finalizar, veja algumas fotos que o André fez naquela noite:

Este slideshow necessita de JavaScript.

❤ 🙂

 

Curta-metragem: CARONA

Ai que felicidade! Dia desses publiquei aqui sobre o lançamento do curta-metragem CARONA e a entrega dos brinquedos arrecadados. E hoje. Hoje. HOJE eu estou escrevendo apenas, APENAS, para dizer o curta-metragem já está disponível no youtube. Assista, comente, compartilhe. Uma dica: é muito amor ❤


Direção e Roteiro: Alisson Resende
Imagens: Alisson Resende e Isabella Marques
Elenco: Guilherme Gontijo e Daniela Guimarães
Montagem: Alisson Resende e Isabella Marques
Fotos: Cristiane Silva
Agradecimentos: Bruna Borges e Júlio César Valeriano

Produção independente, todos os direitos reservados.

Carona: a mais grata viagem

No dia 30 de julho eu tive o prazer de participar das gravações do curta-metragem CARONA, como já contei neste post aqui. Mas, a viagem foi muito além daquele longínquo dia. Foram quase dois meses de edição para que, no último dia 6 de outubro, nós lançássemos o filme lá no auditório da UNA.

(Foto: Victor Tadeu/Divulgação)img-20161007-wa0009

E foi lindo.

Auditório cheio. Três exibições. Aplausos e muita gratidão pela oportunidade de participar de um projeto com tanto amor. E o amor foi compartilhado. Cerca de 150 brinquedos foram arrecadados neste lançamento.

20161010_085920.jpg

E hoje, dia 10 de outubro, foi dia de entregar os brinquedos para as crianças do Lar das Meninas. Ver a felicidade em cada rostinho foi muito gratificante. Além de receber os brinquedos, as crianças assistiram ao curta-metragem, em uma sessão especial em comemoração ao Dia das Crianças.

O Centro de Convivência Infantil Lar das Meninas é uma entidade sem fins lucrativos e atende cerca de 50 crianças, entre meninos e meninas, de 7 a 11 anos. Veja, abaixo, o vídeo da entrega dos brinquedos:

Ajude o Centro de Convivência Infantil Lar das Meninas:

(37) 3221–1338
Rua Fernão Dias, 710, Porto Velho.
Divinópolis, MG.