as_i_am_li

As I Am é o terceiro disco de Alicia Keys e para muitos o melhor disco da artista. O escolhi para o dia de hoje porque este disco completou, no dia 9 de novembro de 2017, dez anos de lançamento.

Antes dele, Alicia produziu o ótimo Songs In A Minor (2001), seu aclamado disco de estreia, que lhe rendeu 5 Grammys e inúmeros outros prêmios. Neste primeiro trabalho, Alicia, que também é pianista, uniu uma sonoridade mais clássica, com pegadas de R&B e soul music e, com isso, conseguiu se estabelecer no cenário musical. Entre as músicas do disco, pode-se destacar Fallin’, um de seus maiores sucessos, How Come You Don’t Call Me, uma cover de Prince, e A Woman’s Worth. Em 2011, em comemoração ao 10º aniversário do disco, foi lançada uma versão especial, que incluía novas versões das músicas, além de LP e DVD exclusivos.

Em 2003, foi lançado o também excelente The Diary of Alicia Keys, seu segundo disco, que continuou com uma sonoridade bem parecida com a do primeiro, mas com mais influências do pop. Pertence a este disco uma das músicas mais executadas e conhecidas de sua carreira, If Ain’t Got You. Além desta, também foi destaque You Don’t Know My Name, produzida por Kanye West, e Karma. Com esta produção Alicia Keys conseguiu mais 4 Grammys, entre outros prêmios.

Dois anos após o lançamento de Diary, em 2005 Alicia foi convidada pela MTV Americana para gravar o Unplugged, que nos anos 2000 perderam a força. Mesmo assim, esta produção foi uma das mais bem sucedidas da série, vendendo mais de duzentas mil cópias na primeira semana. Antes dele, a melhor repercussão havia sido o do Nirvana, em 1994. Neste disco, são apresentados os sucessos dos discos anteriores, com novos arranjos, e alguns covers. Entre estes, destaco a versão de Wilde Horses, dos Rolling Stones, que teve participação do jovem Adam Levine, vocalista do Maroon 5. O disco também ganhou versão em DVD.

Mantendo o período de dois anos entre um lançamento e outro, em 2007 Alicia Keys lança seu terceiro disco de estúdio, o As I Am. Com certeza, um dos melhores discos de sua carreira, com inúmeras músicas de sucesso. Com sonoridade mais pop, mas sem perder a essência R&B, o disco, que completou dez anos em 2017, apresentou Alicia para mais países, incluindo o Brasil. No One, o primeiro single, foi uma das músicas mais executadas em 2007, figurando 76º lugar no Hot 100 da Billboard.

Além de No One, várias outras músicas podem ser destacadas, como Superwoman, em homenagem a força feminina e seus desafios diários, Like You Never See Me Again, inspirada pela morte da avó, Lesson Learned, que teve participação do amigo de longa data, John Mayer – e é uma das minha preferidas do disco –, Wreckless Love, Teenage Love Affair e The Thing About Love.

No ano seguinte, em 2008, foi lançada a versão deluxe do disco, o As I Am – The Super Edition, que listava, além das músicas do lançamento original, novas músicas, como Another Way To Die, com Jack White, que foi tema do filme 007 – Quantum of Solace. Outra música que aparece nesta nova edição, é Doncha Know (Sky Is Blue), do filme A Vida Secreta das Abelhas, em que Alicia participa. Além disso, o disco é acompanhado de um DVD, com trechos de uma apresentação em Londres, no Teatro Coronet, com versões ao vivo das músicas You Don’t Know My Name, Superwoman, No One, Teenage Love Affair e If I Ain’t Got You.

Percebe-se, pela quantidade de músicas listadas, que é sem dúvidas um dos melhores trabalhos da artista, que recebeu 3 Grammys.

Em 2009, Alicia lançou o The Element Of Freedom, continuando seu excelente trabalho, neste disco, uma das principais músicas é a Empire States Of Mind (Part II) Broken Down, que é uma continuação da premiada parceria com Jay-Z. Além desta, outras músicas também foram muito executadas, como Doesn’t Mean Anything, Try Sleep With a Broken Heart e Un-thinkable (I’m Ready). A música que mais gosto deste disco é How it Feels to Fly.

Também aparece Put In a Love Song, em parceria com Beyoncé, talvez um dos maiores erros. A música não se encaixa bem entre as demais músicas do disco, e mesmo da carreira de Alicia Keys. Foi uma tentativa errônea de conseguir mais espaço no chamado Pop, já que ela é sempre bem vista e reconhecida como artista R&B.

Uma nota sobre esta música: foi gravado um videoclipe dela, com a participação das duas artistas, no Rio de Janeiro, em 2010, mas o lançamento foi cancelado pela gravadora.

E, assim como o anterior, foi lançada um nova versão do disco, acompanhado por um DVD com versões intimistas de algumas músicas

Seguindo, em 2012 Alicia lança Girl On Fire, que teve como hit a bem sucedida música que deu título ao disco, que em sua versão original contou com a participação de Nicki Minaj. Outras músicas que se destacaram neste disco, que ganhou o Grammy de Melhor Álbum R&B, foram Brand New Me, New Day e Tears Always Win, uma das minhas preferidas, que, entre outros, teve produção de Bruno Mars.

Em 2013 Alicia lançou um disco ao vivo, que foi lançado em CD e DVD. O VH1 Storytellers: Alicia Keys.

Em 2016, depois do maior hiato entre um lançamento e outro, até agora, Alicia lançou o Here, que foi o melhor disco do ano passado aqui no blog, nos Melhores de 2017. E foi uma pena o disco não ter sido indicado em nenhuma categoria no Grammy deste ano, que acontece no próximo dia 28, em New York. É um disco conceitual e o melhor da carreira da artista, que diz sentir com este álbum um reinício. E concordo com isso. É um disco extraordinário, do início ao fim, em que Alicia expõe suas vontades, seus medos e suas desculpas. Todas as músicas, sem exceção, são importantes, mas, como destaques, posso listar She Don’t Really Care_1Luv, Ilusion Of Bliss, Blended Family (What You Do For Love), Holy War e Work On It.

Enfim, falei de todos os discos, mas abaixo você pode ouvir a versão especial de As I Am. Aproveite. ♥

#HappyBirthdayAlicia

► Álbum • As I Am

► Artista • Alicia Keys

► Ano de Lançamento • 2007

► Composições • Alicia Keys, Mark Batson, Kerry Brothers Jr., Marsha Ambrosius, Linda Perry, Steve Mostyn, George Harry, John Mayer, Jack Splash, Harold Lilly, Josephine Bridges, Carl Hampton, Tom Nixon, Paul Green, Mary Frierson, Johnnie Frierson, Novel Stevenson e Ron Haney

► Produção • Alicia Keys, Kerry Brothers Jr., Linda Perry, Marsha Ambrosius, Mark Batson, Dirty Harry, John Mayer, Jack Splash

► Gravadora • J Records

 

Anúncios

2 comentários em “Disco da Semana: As I Am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s