Dia 61

o dia de hoje coincide com o dia 25.

não o meu dia 25.

o dia 25 da pessoa com a qual divido a mãe.

e também um pouco do sangue.

são 25 desde aquele 28 de fevereiro de 1993.

domingo.

às 19h30 veio ao mundo.

brigas, confusões.

tudo normal.

risadas, séries e músicas compartilhadas.

amor.

sim.

25 anos depois a diferença de quase 10 é quase imperceptível.

a não ser pelos fios brancos e alguns traços antes inexistentes em meu rosto.

hoje, dia 28, os 25 dela já demonstram que a vida está apenas começando.

planos muitos.

o tempo.

continuamos dividindo a mãe e o sangue.

o amor.

brigas e confusões são menores e nem sempre presenciais.

dividimos os filmes e séries não mais pela tv do quarto e as fitas de vídeo.

mas pela conta do streaming.

o tempo.

passou, evoluiu.

evoluímos, nós.

você.

feliz 25, sis.

Anúncios

Release: Banda The Bombers está entre os finalistas do Prêmio Profissionais da Música

li
Foto: Roberto Gasparro

 

Texto: Assessoria/HBB

A banda paulista The Bombers está entre os finalistas da 4ª edição do Prêmio Profissionais da Música (PPM), idealizado para expor e reconhecer a contribuição de diversos profissionais envolvidos na criação e circulação de obras e produções musicais e audiovisuais brasileiras, que neste ano homenageia o músico Roberto Menescal.

O grupo concorre à categoria ‘Artista Hardcore’ com o álbum “Embracing The Sun”, lançado em 2017 pela gravadora Hearts Bleed Blue (HBB). O disco foi produzido pelo guitarrista da banda Gustavo Dias do Vale, que também concorre ao prêmio na categoria ‘Engenheiro de Gravação’.

“É muito importante para a gente ter o nosso trabalho reconhecido”, diz Matheus Krempel, vocalista do The Bombers. “De qualquer forma só a indicação pra gente já é uma alegria enorme. Ainda mais com o Gustavo tendo sido indicado como engenheiro de gravação, isso mostra que a nossa decisão de fazer tudo sozinho, sem a ajuda externa de ninguém, foi a melhor coisa que a gente poderia ter feito”, completa.

O Prêmio Profissionais da Música acontecerá de 16 a 21 de abril com uma extensa programação composta por painéis, talkshows, workshops, exibição de documentários musicais e shows, além da cerimônia de premiação.

É possível votar nos indicados e obter maiores informações sobre o prêmio no site do evento: http://ppm.art.br/

Ouça o disco indicado:

Música do dia #423

#423 • It’s a beautiful world •

Soa como Oasis? Não muito, apesar da referência direta. A certeza é que esta música – e todo o disco do Noel – é tão boa quanto as melhores daquela que foi (ou ainda é) uma das minhas bandas preferidas da vida. (e um spoiller: da banda é o disco desta semana) ♥

 • Artista • Noel Gallagher’s High Flying Birds

• Álbum • Noel Gallagher’s High Flying Birds – Who Built The Moon (2017)

Série do Mês: How To Get Away With Murder

GALERIE

How To Get Away With Murder é uma das melhores séries que comecei a acompanhar recentemente. Já conhecia a história há bastante tempo, mas só resolvi tirar um tempo para assistir em janeiro e, depois que dei o play no primeiro episódio, não consegui mais parar.

A série americana, que foi criada por Peter Nowalk e tem como produtora executiva Shonda Rhimes, é viciante. Aliás, qual produção de Shonda não é? Essa mulher é mágica (e talvez um pouco louca, vai?). Porque tanta tragédia, gente? E isso não é spoiler, quem já assistiu a qualquer capítulo de Greys Anatomy sabe do que estou falando.

How To Get Away With Murder apresenta a história de uma importante advogada de defesa criminal e também professora universitária. Annalise Keating (Viola Davis), se utiliza de métodos não muito honestos para safar pessoas que cometeram diversos crimes. Como dito, Annalise é professora no curso Direito na Universidade de Middleton e, para auxiliá-la, ela escolhe os cinco estudantes que mais se destacaram no primeiro dia de aula para estagiarem em sua firma. São eles Wes Gibbins (Alfred Enoch), Connor Walsh (Jack Falahee), Michaela Pratt (Aja Naomi King), Laurel Castillo (Karla Souza) e Asher Millstone (Matt McGorry). Mal sabiam eles que suas vidas seriam para sempre alteradas por conta deste bom desempenho. No escritório, Annalise ainda conta com a ajuda de seus fiéis funcionários Frank Delfino (Charlie Weber) e Bonnie Winterbottom, vivida pela atriz Liza Weil, nossa eterna Paris Geller.

Na primeira temporada, Annalise está casada com o psicólogo e professor da mesma Universidade, Sam Keating (Tom Verica). Quando acontece o desaparecimento de uma estudante de Sam, Annalise começa a desconfiar de algumas atitudes do marido. E ela, e seus alunos/estagiários, se vêem envolvidos, involuntariamente (ou nem tanto assim), em uma trama de assassinatos. E os acontecimentos da primeira temporada os perseguirão ao menos até a quarta temporada, que é a que está sendo exibida no momento.

A excelente Viola Davis recebeu o merecido Emmy Awards de melhor atriz em série dramática e foi a primeira atriz afro-americana a conseguir este feito. Que orgulho! A atriz também recebeu indicações no Globo de Ouro e em várias outras premiações. Os atores Alfred Enoch e Aja Naomi King também receberam indicações no NAACP por seu desempenho na série, como melhor ator coadjuvante e melhor atriz coadjuvante em série dramática.

A série ainda foi nomeada como Programa de Televisão do Ano de 2014 pelo American Film Institute e ganhou como Melhor Série Dramática no Image Awards e no GLAAD Awards, em 2015.

Atualmente, estão sendo exibidos os capítulos finais da quarta temporada. E o próximo episódio a ser exibido nos Estados Unidos no dia 1º de março, o 13º da temporada, será um crossover entre How To Get Away With Murder e Scandal, que também conta com a produção da Shondaland, é uma excelente série, lógico. Mas sobre ela eu falarei em um outro momento.

E, só um adendo (ou uma curiosidade, na verdade): o EP que eu mais fiquei sem ar até agora foi o 8º da 4ª temporada. MEU DEUS, que episódio! E ele vai ao ar aqui no Brasil hoje à noite, às 23h, no Canal Sony. #ficaadica

► Série: How To Get Away With Murder

► 4 temporadas (2014 – )

Filme da Semana: It – A coisa

it_3-750x380

Um filme muito bom, que não tem praticamente nada de assustador, além da cena do bueiro e uma ou outra no final. É baseado no livro homônimo de Stephen King. O livro é muito extenso e existe uma primeira versão deste filme, lançado na década de 1990, que conta a história completa. Desta vez, o diretor decidiu dividir o filme em duas partes. E, pode ser que este segundo capítulo seja divido em dois. Ou seja, pode ser tenhamos uma trilogia.

O filme fala de medos e de como ele pode ser representado de formas diferentes para cada pessoa. Pennywise, o palhaço estrábico e assustador, aparece nos piores momentos do filme, para aquelas crianças.

Por falar nelas, várias começam a desaparecer em Derry, cidade dos EUA. E, como todo bom filme que une criança, suspense e aventura, um grupo de crianças resolve investigar os desaparecimentos e começam a ter visões com o palhaço.

Quem está ótimo neste filme é Finn Wolfhard, muito conhecido por seu papel de Mike Wheeler, em Stranger Things. E, alguns momentos é até possível comparar a série com o filme.

Completam o elenco Sophia LillisJaeden LieberherJack Dylan GrazerChosen JacobsBill Skarsgård, vivendo o assustador palhaço.

• Filme • It – A coisa (It)

• Direção • Andy Muschietti

• Ano de Lançamento • 2017