Música do dia #420

#420 • Desculpe o auê •

De um bilhete com um pedido de desculpas surgiu uma das músicas mais conhecidas de Rita Lee. ♥

• Artista • Rita Lee e Roberto de Carvalho

• Álbum • BomBom (1983)

Anúncios

Filme da Semana: It – A coisa

it_3-750x380

Um filme muito bom, que não tem praticamente nada de assustador, além da cena do bueiro e uma ou outra no final. É baseado no livro homônimo de Stephen King. O livro é muito extenso e existe uma primeira versão deste filme, lançado na década de 1990, que conta a história completa. Desta vez, o diretor decidiu dividir o filme em duas partes. E, pode ser que este segundo capítulo seja divido em dois. Ou seja, pode ser tenhamos uma trilogia.

O filme fala de medos e de como ele pode ser representado de formas diferentes para cada pessoa. Pennywise, o palhaço estrábico e assustador, aparece nos piores momentos do filme, para aquelas crianças.

Por falar nelas, várias começam a desaparecer em Derry, cidade dos EUA. E, como todo bom filme que une criança, suspense e aventura, um grupo de crianças resolve investigar os desaparecimentos e começam a ter visões com o palhaço.

Quem está ótimo neste filme é Finn Wolfhard, muito conhecido por seu papel de Mike Wheeler, em Stranger Things. E, alguns momentos é até possível comparar a série com o filme.

Completam o elenco Sophia LillisJaeden LieberherJack Dylan GrazerChosen JacobsBill Skarsgård, vivendo o assustador palhaço.

• Filme • It – A coisa (It)

• Direção • Andy Muschietti

• Ano de Lançamento • 2017

 

 

Disco da Semana: Efêmera

Capa_de_Efêmera

Com exceção de Às vezes, Tulipa Ruiz assina todas as músicas deste seu álbum de estreia. Efêmera é uma obra prima da nova música brasileira e Tulipa está entre as grandes vozes desta geração.

O disco é carregado de sentimento, com letras que falam sobre amadurecimento, amor, perda, relações, amizades. Mas, diferente do título que dá nome ao disco, Efêmera não é um disco perecível ou que passará despercebido. Ou ao menos não deveria. Lançado de maneira independente em 2010, pode-se dizer que todo o processo foi cuidadosamente pensado, da produção das melodias e letras, até o encarte do disco, com arte da capa feita pela própria Tulipa, e com desenhos de vários amigos e artistas. São muitas Tulipas dentro de um mesmo universo. É possível perceber este dinamismo nos dois trabalhos seguintes da artista.

Em Tudo Tanto, lançado em 2012, Tulipa já nos apresenta algumas sonoridades e experimentações. Confesso que não consegui me entregar muita à audição deste segundo trabalho, tamanho apego e apresso tenho pelo primeiro. Mas, ainda assim, é possível destacar algumas músicas, como É, Dois Cafés e Víbora.

Dancê foi o terceiro álbum da artista, que ganhou, inclusive, uma linda versão em vinil, do Noize Record Club, que eu tenho, em versão numerada e assinada pela Tulipa. ❤

Como o próprio nome já diz, Dancê é um disco feito para dançar. Destaque para a participação de João Donato, em Tafetá. Outro destaque é Algo Maior.

Em 2017, Tulipa lançou TU, um disco que, a princípio, seria uma coletânea, mas se transformou num disco de versões acústicas de músicas dos discos anteriores, com o acréscimo de algumas inéditas, como Game. Das novas versões, gostei bastante de Pedrinho, Algo Maior e Dois Cafés.

Voltando ao Efêmera, é quase impossível não destacar todas as músicas do disco. Mas, de toda forma, as principais indicações são: Do amor, Pedrinho, Sushi, Aqui e Só sei dançar com você. Esta última recebeu versão da Tiê.

Ouça Efêmera, em volume alto, sem medo de se perder.

► Álbum • Efêmera

► Artista • Tulipa Ruiz

► Ano de Lançamento • 2010

► Composições • Tulipa Ruiz, Gustavo Ruiz e Luiz Chagas

► Produção: Gustavo Ruiz e Márcio Arantes

► Gravadora • YB Music

 

 

 

 

 

 

Brits 2018

brit-awards-2018-li

Na noite de ontem (horário britânico), 17h (horário de Brasília), dia 21 de fevereiro, aconteceu o 38º BRIT Awards, que premiou os melhores da música britânica. Na minha humilde opinião, as performances foram bem melhores do que as apresentadas no Grammy. As que mais gostei foram a de Justin Timberlake, que abriu a cerimônia, apresentando Midnight Summer Jam e, em seguida, Say Something, com a participação de Chris Stapleton, e a de Liam Gallagher que apresentou Live Forever, do Oasis.

Veja, abaixo, a lista dos vencedores (destaque em negrito):

Artista Feminina Britânica
Paloma Faith
Kate Tempest
Jessie Ware
Laura Marling
Dua Lipa

Artista Masculino Britânico
Ed Sheeran
Liam Gallagher
Loyle Carner
Rag’n’Bone Man
Stormzy 

Single Britânico
Calvin Harris feat. Pharrell, Katy Perry and Big Sean – ‘Feels’
Clean Bandit feat. Zara Larsson – ‘Symphony’
Dua Lipa – ‘New Rules’
Ed Sheeran – ‘Shape Of You’
J Hus – ‘Did You See’
Jax Jones feat. Raye – ‘You Don’t Know Me’
Jonas Blue feat. William Singe – ‘Mama’
Liam Payne feat. Quavo – ‘Strip That Down’
Little Mix – ‘Touch’
Rag’n’Bone Man – ‘Human’ 

Grupo Britânico
Gorillaz
Royal Blood
Wolf Alice
London Grammar
The xx

Revelação Britânica
Dave
Dua Lipa
J Hus
Loyle Carner
Sampha

Vídeo de Artista Britânico
Anne-Marie – ‘Ciao Adios’
Calvin Harris feat. Pharrell, Katy Perry and Big Sean – ‘Feels’
Clean Bandit feat. Zara Larsson – ‘Symphony’
Dua Lipa – ‘New Rules’
Ed Sheeran – ‘Shape Of You’
Harry Styles – ‘Sign Of The Times’

Jonas Blue feat. William Singe – ‘Mama’
Liam Payne feat. Quavo – ‘Strip That Down’
Little Mix – ‘Touch’
Zayn and Taylor Swift – ‘I Don’t Wanna Live Forever’

Artista Feminina Internacional
Taylor Swift
Lorde 
Björk
Pink
Alicia Keys

Artista Masculino Internacional
Kendrick Lamar 
Childish Gambino
Drake
Beck
DJ Khaled

Grupo Internacional
Foo Fighters
Arcade Fire
LCD Soundsystem
Haim
The Killers

Álbum Britânico do Ano
Stormzy – ‘Gang Signs And Prayer’
Rag’n’Bone Man – ‘Human’
Dua Lipa – ‘Dua Lipa’
J Hus – ‘Common Sense’
Ed Sheeran – ‘÷’

Dia 60

Amigos.

Conheço muita gente.

Mas, amigos, menos de uma mão.

Tranquilamente.

Talvez, meia mão.

Um dedo.

Não, é mais.

Uma mão.

Sinto que às vezes ainda procuro minha turma.

Tenho, às vezes, inveja dos que guardam amigos de infância.

Àqueles que conviveram comigo à época, passaram a ser pessoas conhecidas, mas não mais amigas.

Colecionamos histórias divertidas de infância, as quais na memória ficarão, mas não nos resta nem um ponto de cumplicidade e afeto.

Tudo isso se perde e, para o bem ou mal, é culpa do tempo.

Na adolescência tive as turmas da escola.

Com seu fim, findaram as amizades.

Na faculdade a mesma coisa. Mas deste período guardo hoje os laços mais fortes, que não foram construídos nas salas de aula.

Escrevi tudo isso para dizer que somos feitos de memórias e os amigos sejam, talvez, parte essencial para esta coleção de momentos pelas quais nossa história é formada.

Aos que formam minha mão, aos que são “minha turma”, aos que me escutam.

Aos que ainda virão.

Amigos.

Música do dia #416

#416 • About a girl • 

Hoje Kurt Cobain completaria mais um ano de vida. Seriam 51. Infelizmente, ele nos deixou em 1994, mas ainda bem que suas músicas permanecem. A música de hoje abre o melhor disco de sua banda, na minha opinião, que também foi o último. E é uma das que mais gosto. A versão original é do disco de estreia do Nirvana, o Bleach, de 1989.

• Artista • Nirvana 

• Álbum • Unplugged in New York (1994)