rita porto

Rita Lee, uma das maiores representações femininas da música brasileira, sobretudo no rock, merece estar aqui hoje, nesta humilde lista de discos do blog.

Cantora, compositora, escritora, multi-instrumentista, Rita começou na música em 1966 com o grupo Os Mutantes, ao lado dos irmãos  Arnaldo Baptista e Sérgio Dias. Com o grupo, Rita lançou os discos O’Seis (nesta época o grupo tinha este nome) um compacto que continha duas músicas, em 1966. O segundo disco foi o tropicalista Os Mutantes (1968). Neste, que é considerado um dos principais discos do grupo, pode-se destacar as músicas Panis et circenses, A minha menina, Baby e Bat Macumba. Em 1969 o grupo lançou Mutantes, com músicas como Não vá se perder por aí, 2001, Fuga nº2 e Qualquer bobagem. Em 1970 foi a vez do grupo lançar A divina comédia ou Ando meio desligado. Dele, podem destacadas as músicas Ando meio desligado e Ave Lúcifer. Ainda em 1970, foi lançado o disco Build Up, ainda com Os Mutantes, mas apenas Rita foi creditada.

1970 foi um ano prolixo em se tratando de produções. Durante este ano o grupo ainda produziu o Tecnicolor, que foi lançado originalmente apenas no ano 2000, por problemas técnicos na gravação em 70. O disco pode ser considerado uma coletânea do grupo, já que reapresenta diversas músicas de discos anteriores. Em 1971, o grupo lançou o Jardim Elétrico, com músicas como Top Top, Tecnicolor e El Justiciero. Mutantes e seus cometas no país dos bauretz foi lançado em 1972. O título foi uma homenagem a Tim Maia e a forma pela a qual ele se referia às drogas que recebia nos camarins. Ainda em 1972, foi lançado o derradeiro disco com participação da Rita n’Os Mutantes, apesar de este disco também ser creditado apenas à ela. Hoje é primeiro dia do resto da sua vida já apontava para o que viria.

A partir de 1973, Rita começa sua parceria com o grupo Tutti Frutti, formado pelo guitarrista Luis Sérgio Carlini, o baixista Lee Marcucci e o baterista Emilson Colantonio. Em 1973 eles chegaram a fazer um primeiro registro, chamado apenas Tutti Frutti, mas que nunca foi lançado oficialmente. A estreia oficial veio em 1974.

Atrás do porto tem uma cidade foi o disco de estreia de Rita Lee & Tutti Frutti. Na minha opinião, o melhor disco da carreira de Rita Lee pré Roberto de Carvalho.

Seguindo a sonoridade que fazia no antigo grupo, o disco nos apresenta a música Mamãe Natureza, em que Rita  conta como vem tentando superar a forma com que foi retirada de sua banda de origem. “Não sei se vou ter algum dinheiro ou se só vou cantar no chuveiro”.

A sonoridade rock and roll e letras irreverentes, com o pezinho na jovem guarda e Beatles, faz deste um dos grandes discos do rock brasileiro. Com ele, Rita se fixou no trono de Rainha do Rock Nacional, onde está até hoje. Além de Mamãe Natureza, pode-se destacar Menino Bonito, Yo no Creo Pero…, Pé de Meia e Ando Jururu.

Depois deste, Rita lançou outros quatro discos com o Tutti Frutti: Fruto Proibido (1975), com o qual Rita conseguiu reconhecimento mundial. O disco tem músicas que até hoje a fazem ser lembrada, como Agora só falta você, Esse tal de Roque Enrow, Luz del Fuego e Ovelha Negra. O compacto Rita Lee & Tutti Frutti foi lançado em 1976, Entradas e Bandeiras (1976) e o compacto Arrombou a festa (1976). Depois, em 1977, Rita lançou o Refestança, em parceria com Gilberto Gil. Em 1978, Rita lança seu primeiro disco sem a banda de apoio, o Babilônia. A fase “sozinha” ainda teve os discos Rita Lee (1979), Rita Lee (1980) e Saúde (1981).

Em 1982, Rita lança o primeiro disco da profícua parceria com seu esposo Roberto de Carvalho. Desta fase foram lançados os discos Rita Lee e Roberto de Carvalho (1982), Baila Conmigo (1982), Bombom (1983), Rita e Roberto (1985), Flerte Fatal (1987), Zona Zen (1988), Pedro e o lobo (1989), e derradeiro Rita Lee e Roberto de Carvalho (1990).

Em 1990 Rita Lee lança o Bossa’n’Roll – ao vivo, no formato acústico que se popularizaria anos depois na MTV. Os discos seguintes foram Rita Lee (1993), A marca da zorra – ao vivo (1995), Santa Rita de Sampa (1997), Acústico MTV (1998), 3001 (2000), Aqui, ali em qualquer lugar (2001), em que ela apresenta versões das músicas dos Beatles, Balacobaco (2003), MTV ao vivo (2004), Multishow ao vivo (2009) e o derradeiro Reza (2012).

Depois deste último disco, Rita Lee tem se dedicado a família e a escrita, tendo lançado ano passado o excelente Rita Lee – uma autobiografia.

Agora, ouça o disco da semana:

► Álbum • Atrás do Porto Tem Uma Cidade

► Artista • Rita Lee & Tutti Frutti

► Ano de Lançamento • 1974

► Composições • Rita Lee, Lee Marcucci e Luis Sérgio Carlini

► Produção • Marco Mazzola

► Gravadora • PolyGram

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s