é duro quando se tem um foco, um objetivo, uma vontade, mas, ainda assim, não o controle sobre a realização do desejo.

tenho pensado muito nos meus atos. tentando tratar a maioria dos que convivem comigo de maneira gentil, mas eu sempre fico com o pé atrás. mas isso não é de agora.

sabe quando se compartilha um segredo com alguém e há aquele pacto (mesmo que implícito) de que aquilo precisa ficar apenas entre aquelas duas pessoas? pois é. tanta coisa já foi dita e o pacto foi quebrado e isso me fez ser uma pessoa “fechada”.

na adolescência, hoje eu percebo, sofria bullying, mas, como era amiga dos “populares da escola” (infantil, né?) , continuava a viver, fingindo que era protegida. como essas pessoas me faziam de boba. e, no fim das contas, perdi o contato com todos. sem exceção.

nos raros momentos em que nos encontramos, ainda é perceptível a fagulha da forma boba como me tratavam. mas, tentar evoluir a gente tenta.

já me peguei pensado sobre como não tenho amigos de infância e como isso me afetou. é estranho porque os amigos que tenho hoje, as pessoas com quem compartilho o mínimo que acho ser seguro compartilhar, não conviveram comigo no início, nem no meio, já que também não mantive contato com nenhum amigo da adolescência, período em que preferia ficar no quarto tirando letras de músicas ou assistindo aos filmes de terror com a neve campbell (aka pânico e jovens bruxas).

naqueles intermináveis sábados, em que a melancolia adolescente tomava conta, eu não pensava em nada, então não conseguia traçar uma estratégia nem mesmo pra fugir. só consegui ter esse tipo de pensamento quando comecei a trabalhar, entrei na faculdade e aí as coisas começaram a acontecer.

hoje eu poderia ter a ilusão de que tenho tudo sob controle, todos os meus atos e meus desejos. voltemos ao início. eu não tenho controle algum.

a vida são ciclos e hoje vejo o quanto eles se repetem, independente da idade em que eu esteja. o quarto em que passava os finais de semana agora é minha cabeça. não preciso mais tirar as letras de músicas, basta dar um google. mas isso não diminui a importância desta arte em minha vida. é como respirar, mas isso é assunto pra um outro dia.

hoje leio mais livros. é o que me sustenta, ou o que me esconde do peso das coisas.

ontem tive um dia ensolarado. como há muito não tinha. certos pensamentos me rondaram em certos momentos mas, no fim das contas, foi um dia muito bom.

mas, ainda assim, é duro perceber que temos o controle de tão pouco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s