Filme da Semana: Mulher-Maravilha

mulher-maravilha-li

Já posso começar dizendo que me arrependi de ter demorado tanto a assistir este filme. Ele poderia ter entrado, com toda a certeza do mundo, na lista de Melhores Filmes de 2017. Protelei muito e fui assisti-lo no primeiro dia de 2018. Então, na lista deste ano ele já está garantido.

Neste filme da DC Comics, é apresentada a origem de Diana Prince, a amazona que foi treinada desde pequena para ser uma guerreira, capaz de enfrentar o temido Ares.

Num dia, Diana (Gal Gadot) salva um piloto, que cai nas águas próximas a ilha onde ela vivia. A partir deste incidente, ela descobre que há uma guerra acontecendo no mundo.

Ela, então, decide deixar a ilha e pôr em prática tudo o que aprendeu. O que ela não sabia era que seu poder era bem maior do que haviam lhe contado e sua missão no mundo dos humanos estaria apenas começando.

O filme é bom principalmente porque é um mulher, forte, idealista e decidida, que põe fim ao conflito. Mas, é muito além disso. É sobre confiar em si e ir além. É sobre superar limites e é sobre se perceber frágil, mesmo na força. É sobre amar. É sobre amor. É um filme para todos nós. Todos, sem exceção.

E foi assistindo este filme que tive a certeza absoluta de que meus heróis preferidos são os da DC. ♥

A primeira aparição da Mulher-Maravilha foi no filme Batman X Superman – A origem da Justiça (2016) e ela retornou no fim do ano passado no filme A Liga da Justiça (2017).

E, para melhorar, ontem aconteceu o Critic Choice Awards e a atriz Gal Gadot venceu o prêmio , por sua contribuição para as mulheres no cinema. Além disso, o filme ganhou o prêmio de melhor filme de ação.  ♥

► Filme • Mulher-Maravilha (Wonder Woman)

► Direção • Patty Jenkins

► Ano de Lançamento • 2017

 

 

Anúncios

Filme da Semana: Extraordinário

extraordinario_loucuras

Eu já escrevi sobre o livro que me emocionou profundamente. Não pensei duas vezes: assim que o filme foi lançado, corri para o cinema.

Posso considerar que o filme é uma excelente adaptação para o livro, mas ainda assim, o livro é ainda mais emocionante. O roteirista soube captar algumas das partes mais interessantes para compor o filme, que nos é apresentado com um elenco de primeira linha, como Julia Roberts, Owen Wilson e Sônia Braga, que faz uma breve mas marcante participação. A frente deste elenco está o pequeno Jacob Tremblay, que já apareceu aqui no blog com o excelente O quarto de Jack.

Extraordinário é um filme para toda a família e conta a história de Auggie, um garotinho de dez anos que se prepara para ir à escola pela primeira vez. Nada demais. Mas Auggie possui uma deformidade no rosto, o que o impede de ser uma criança “normal”. É uma história comovente, que nos mostra como as crianças as vezes também podem ser cruéis e como a família, leia-se os pais, são diretamente responsáveis por certas atitudes dos filhos.

Assim como o livro, o filme deveria ser obrigatório.

É tocante, emocionante e uma das maiores bilheterias do cinema em 2017.

► Filme • Extraordinário (Wonder)

► Direção • Stephen Chbosky

► Ano de Lançamento • 2017

Filme da Semana: Noite de ano novo

new-years-eve-movie-still-li

Nada como encerrar o ano de filmes aqui no blog com um que tenha como tema justamente a virada do ano. E o melhor: em New York. Meu sonho passar estas últimas duas semanas de dezembro nesta cidade. Já está anotado para viagens futuras (sonhar é de graça, né?).

O filme conta a história de vários personagens e o que acontece na vida de cada um deles no último dia do ano de 2011. Entre encontros e desencontros, desejos e desafios, cada uma das histórias vão se tornando oportunidades de transformação, o que os leva a tomar decisões que podem ser fundamentais para o futuro de cada um deles.

Tem o casal que se conhece no elevador, o doente terminal de câncer que deseja ver pela última vez a contagem regressiva na Times Square, o cara que quer reconquistar a namorada, e por aí vai.

O filme conta com um elenco de estrelas, como Ashton Kutcher, Lea Michelle, Abigail Breslin, Sarah Jessica Parker, Hilary SwankRobert De Niro, Bon Jovi, Katherine Heigl, Michelle Pfeiffer e Zac Efron.

Enquanto estiver de ressaca no dia primeiro: assista, com nenhuma expectativa, rs.

***

Filme: Noite de ano novo (New Year’s Eve)

Direção: Garry Marshall

Ano de lançamento: 2011

Melhores 2017: Filmes

Outra coisa boa que fiz em 2017 foi ir ano cinema. Há muito tempo não frequentava tanto as salas escuras. Nem todos os filmes que assisti foram resenhados aqui no blog, por isso os que ainda não ganharam texto, ganharão em 2018.

Vamos à lista:

  • 5 • It – A Coisa

 

 

 

  • 3 • Wonder (Extraordinário)

 

 

 

  • ►► Bônus: A Cabana

    O post mais lido no blog em 2017 foi o que faz a comparação entre o livro e o filme. ☻

 

E então, qual foi o melhor filme que você assistiu em 2017?

Até amanhã! ♥

Filme da semana: Esqueceram de Mim

esqueceram_de_mim_li

Quem cresceu na década de 1990 não passou um natal sequer desde o lançamento deste filme, em 1990, sem assisti-lo. E essa é a verdade da minha vida, rs.

Sempre, em todos os natais, se existe uma tradição que eu adoro é esta de assistir ao Esqueceram de mim, um clássico não apenas da Sessão da Tarde.

O filme conta a história de Kevin (Macaulay Culkin), um menino de oito anos que é esquecido pela família durante um natal, quando todos vão para Paris. Sozinho em casa, o menino apronta todas e ainda consegue se livrar de dois ladrões. E o filme, que tem uma trilha sonora extraordinária, consegue juntar a família toda ao redor da TV e a fórmula do filme é tão acertada, que é capaz de unir todas as gerações, dos pequenos aos mais velhos, não há quem resista a esta história do garotinho.

É dirigido por Chris Columbus que, na minha opinião, é para as décadas de 1990 e 2000 o que John Hughes foi para a década de 1980. É  de Chris filmes como Lado a Lado, os primeiros filmes de Harry Potter (a música tema de Harry lembra muito a música tema de Esqueceram de Mim), uma Babá quase perfeita, Nove Meses, O Homem Bicentenário, além de ter roteirizado Os Goonies e Gremlins na década de 1980 e ainda foi produtor de Histórias Cruzadas, filme vencedor do Oscar de melhor atriz coadjuvante de 2012. A lista é longa. (e eu provavelmente já devo ter escrito isso em algum outro lugar deste blog).

Esqueceram de Mim foi indicado para importantes premiações, como o Oscar de 1991, nas categorias de Melhor Trilha Sonora Original e de Melhor Canção Original, para Somewhere in my memory (a música de hoje), e para o Globo de Ouro, também de 1991, em que foi indicado nas categorias Melhor Filme (Comédia/Musical) e Melhor Atuação de um Ator em Cinema (Comédia/Musical), para Macaulay Culkin. Ainda em 1991 o filme venceu o British Comedy Awards, na categoria de Melhor Comédia.

Então, neste natal, junte a família, prepare os cookies e assista ao filme. (O dois também é muito bom).

***

Filme: Esqueceram de Mim (Home Alone)

Direção: Chris Columbus

Ano de lançamento: 1990

Filme da semana: Procura-se um amigo para o fim do mundo

procura-se-um-amigo-li

O que você faria se o mundo fosse acabar daqui há três semanas?

Difícil, né? Mas esta é a história deste filme, com Steve Carell e Keira Knightley.

Trata-se de amar e dizer que ama. Trata-se de viver e conhecer o que se tem vontade. Trata-se de ouvir boas músicas e ser livre. Ser livre.

O que é viver, afinal de contas?

Dizem que quando se está à beira da morte estas questões sempre aparecem.

Enfim, é um filme que fala de amor, amizade, respeito, escolhas e é bem interessante assisti-lo nesta época do ano, quando as esperanças das maioria do mundo são renovadas. A falsa impressão de reinício deixa a maioria das pessoas mais amáveis.

Ao menos uma coisa boa.

Assista este filme com um saco de pipocas em uma mão e um lenço na outra. E despretensiosamente. A trilha sonora também é muito boa.

Aproveite a jornada.

***

Filme: Procura-se um amigo para o fim do mundo (Seeking a Friend for the End of the World)

Direção: Lorene Scafaria

Ano de lançamento: 2012

Filme da semana: Estrelas além do tempo

estrelas além do tempo li

Um dos melhores filmes que assisti em 2017. Um ano em que comecei a prestar mais atenção na gritante diferença entre negros e brancos. Neste ano assisti vários filmes, li vários textos e fiquei muito envergonhada por não ter olhado mais para esta situação.

Enfim, alguns trechos deste filme me levaram às lágrimas, por conta da discriminação, que nos EUA da década de 1960 era ainda mais perversa do que hoje.

O filme é baseado na história real de três negras matemáticas – Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) – que trabalhavam na NASA e que foram muito importantes para que os Estados Unidos pudessem conseguir chegar ao espaço, inclusive na lua, na conhecida “corrida espacial”.

Na medida em que demonstram do que são capazes, vão conquistando espaço (não é trocadilho) e o respeito dos demais – em sua maioria, homens brancos.

Após as conquistas, as três tornaram-se referência para os avanços tecnológicos dos Estados Unidos.

Vale a pena assistir quantas vezes forem possíveis, por conta da história, da força dessas mulheres e porque, também, a trilha sonora composta por Pharrel Williams é extraordinária.

O filme foi indicado a vários prêmios, incluindo o Oscar de melhor filme.

Também fazem parte do elenco: Kevin CostnerKirsten DunstJim Parsons e Glen Powell.

***

Filme: Estrelas além do tempo (Hidden Figures)

Direção: Theodore Melfi

Ano de Lançamento: 2016

 

Filme da semana: Pegando fogo

pegando-fogo.jpg

Pegando fogo conta a história do chefe americano Adam Jones (Bradley Cooper), que no passado conquistara duas estrelas do Guia Michelan trabalhando em restaurantes em Londres e Paris. Após alguns problemas com drogas, ele retorna aos Estados Unidos onde permanece até conseguir se recuperar completamente e volta à Londres para chefiar uma nova cozinha e tentar conquistar a terceira estrela.

É um filme bem interessante, eu gosto muito dos filmes em que Cooper esta presente e o elenco desta produção conta muito.

Adam Jones é um chefe que beira a loucura. Ele consegue escolher a dedo sua equipe, mas está tão ensimesmado e focado na terceira estrela, que não consegue criar uma boa relação com seus ajudantes. Quado ele está perto de conquistar a estrela, uma pessoa que sofreu com suas crises do passado vinga-se do chefe, o que pode colocar um fim em toda sua estratégia.

É um filme bom, sobretudo pra quem gosta de cozinhar. Eu sinceramente não consigo ter uma relação tão romântica e artística com a comida. Pra mim comida serve para me nutrir. Não consigo gastar muito dinheiro em pratos com porções mínimas, assinadas por chefes renomados, só porque ele provavelmente faz parte do guia supracitado.

É isso. O filme é uma boa distração.

Ainda fazem parte do elenco Sienna MillerUma ThurmanAlicia VikanderEmma ThompsonDaniel BrühlOmar Sy.

***

Filme: Pegando fogo (Burnt)

Direção: John Wells

Ano de lançamento: 2015

Filme da semana: Boa Sorte

boa-sorte-loucuras-intrepidas

Que filme! Que filme!

Já devo ter falado isso por aqui em algum momento, eu gosto muito do cinema nacional! Mas não das produções que geralmente levam milhões de pessoas aos cinemas (de comédia, principalmente). Eu prefiro os filmes menores, de drama, principalmente. E este é muito interessante.

Trata-se da história de João (João Pedro Zappa). Um jovem que começa a apresentar alguns problemas de comportamento e se vicia em remédios para a depressão. Numa dessas, ele acredita estar invisível e bate em uma mulher num supermercado. Após este incidente, ele é diagnosticado com depressão e sua família o interna em uma clínica de tratamento de dependentes.

Nesta clínica ele conhece Judite (Deborah Secco), que é uma paciente HIV positivo, em fase terminal. Apesar disso, os dois vivem uma rápida e intensa história de amor.

A convivência com Judite faz com que o jovem tenha outra perspectiva da vida, que levara até o momento.

É um filme muito, muito bom mesmo, e é baseado no conto  “Frontal com Fanta“, de Jorge Furtado. Recebeu o prêmio de roteiro adaptado, no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, de 2015.

Também participam do elenco Fernanda Montenegro, Cassia Kis Magro, Enrique DiazFelipe Camargo e Giselle Fróes. Um bônus track lindo são as ilustrações de Rita Wainer, que aparecem ao longo do filme.

***

Filme: Boa sorte

Direção: Carolina Jabor

Ano de lançamento: 2014

 

Filme da semana: Rainha de Katwe

Rainha-de-Katwe-loucuras-intrepidas

Um filme, assim como uma música, pode muitas vezes mudar nossa perspectiva, nos tirar do lugar de sempre, das reclamações vazias. Foi isso que este filme me fez: um bem gigantesco. Ao seu fim, havia lavado a alma.

Me emocionei em diversos momentos, com tanta verdade e dificuldade vividas por àquelas pessoas que viram no xadrez uma chance de mudança de sua realidade.

O filme é baseado na história real de Phiona Mutesi (Madina Nalwanga), uma jovem de Katwe, na Uganda, que, com muita habilidade e inteligência, aprende a jogar xadrez, mesmo não sabendo ler, e desperta o interesse de seu treinador.

Com persistência, coragem e muita determinação, Phiona vai superando os obstáculos e abrindo caminho para aos poucos ir conquistando os seus sonhos. Entre os ganhos, perdas e dificuldades enfrentadas pela sua família, esta história abre nossa cabeça para a diferença gritante que ainda existe no mundo.

Um momento bonito: Quando ela recebe o troféu do torneio de xadrez de melhor menino. Sim!

O filme é dirigido por Mira Nair e roteirizado por William Wheeler.

 Também participam do filme o ator David Oyelowo e Lupita Nyong’o.

***

Filme: Rainha de Katwe (Queen of Katwe)

Direção: Mira Nair

Ano de lançamento: 2016