Música do dia #498

#498 • Mãe

Hoje é o dia delas. Nosso início, de onde viemos. Aos que as têm, abraços. Aos que não, lembranças. ‘Vivam’ suas mães.

A música de hoje é triste, ao mesmo tempo que demonstra a presença.

• Artista • Gal Costa

• Álbum • Água Viva (1978)

Anúncios

Música do dia #497

#497 • Holy War •

As músicas boas não param por aqui e hoje lhes apresento mais uma do melhor disco do ano passado, que na verdade é de 2016. Em Holy War, Alicia Keys nos pergunta porque não nos amarmos ao invés de fazermos guerras por quaisquer motivos. A guerra não deve superar o amor. Jamais.

• Artista • Alicia Keys

• Álbum • Here (2016)

Filme da Semana: Minha Vida Sem Mim

88d75e3d07cf5b8d0644b1e669b30e0f

Imagine você, jovem, mãe, casada, descobrir uma doença grave que encerrará sua vida em pouco tempo. O que você faria? Esta é a história de Ann (Sarah Polley) no filme Minha Vida Sem Mim. Este é, com certeza, um dos filmes que mais gosto na vida, ou que gostava. Digo gostava porque costumava vê-lo sempre, isso porque, em minha antiga coleção de fitas VHS, eu o tinha. E, como ainda não encontrei um DVD do filme, e a Netflix não ajuda, continuo com ele em minhas lembranças. Mas o sentimento é bom. Continue lendo “Filme da Semana: Minha Vida Sem Mim”

Disco da semana: Alucinação

alucinação

Alucinação é o segundo disco de Belchior, lançado em junho de 1976. Todas as músicas da obra foram escritas e compostas por ele, não à toa, este é um dos mais importantes discos do Brasil. Ou deveria ser.

As composições de Belchior são reconhecidas pela força e pelas palavras funcionarem tantas vezes como navalha. Em 76, ainda na ditadura, que ainda duraria quase 10 anos, Belchior falava de dor, sofrimento, política e das inúmeras dificuldades daqueles dias. Continue lendo “Disco da semana: Alucinação”

Dieguito Reis lança sua primeira música solo

Ele lançará uma música por mês até o final do ano

Dieguito-Reis-Favela-Sincera

A partir de uma poesia postada no Instagram, começou a produção de Favela Sincera, a primeira música solo de Dieguito Reis, baterista da Vivendo do Ócio, um de seus projetos musicais. A princípio, a música parece ser bem diferente da sonoridade da banda.

“Foi bem natural, trap de mensagem com suingue baiano rsrsrs , o peso ainda existe, mas não tá nas guitarras e sim na verdade passada na letra.”

Assim Dieguito explica sobre este novo trabalho, que contou com a produção dos irmãos João e Peu Del Rey.

“Trocamos meia hora de ideia no zap e no mesmo dia enviei um verso. De lá pra cá as coisas só evoluíram. Era pra finalizar uma música, virou um EP e agora já é um disco.”

Continue lendo “Dieguito Reis lança sua primeira música solo”

Release | Banda Autoramas comemora 20 anos de estrada

Texto: Hearts Bleed Blue/Assessoria

Neste sábado (12) às 22h, o grupo Autoramas celebra duas décadas de dedicação à música em uma festa que acontece no Clube V.U. na capital paulista. Os DJs Maia, Lu Riot e Sérgio Barbo embalam a comemoração, que conta também com a discotecagem do vocalista do Autoramas, Gabriel Thomaz. Continue lendo “Release | Banda Autoramas comemora 20 anos de estrada”

Dia 71

quantos ‘agora’ existem dentro do agora?

escrevi isso no twitter esta semana e fiquei pensando: são tantos momentos dentro de um segundo, de um piscar de olhos, que sinceramente não consigo saber.

o medo é pensar que os “agoras” acumulados são memórias e que as memórias nem sempre são o que queríamos que elas fossem.

e você, sabe quantos agora formam seu agora?

Música do dia #494

#494 • Detalhes •

Roberto Carlos já apareceu por aqui algumas vezes e hoje aparecerá mais uma vez, para encerrar as músicas indicadas entres as 10 melhores da revista Rolling Stone. Quem acompanha o blog deve ter visto as anteriores. Esta é, com certeza, uma das mais belas canções escritas pelas dupla de Carlos, Erasmo e Roberto, e ficou em 8º lugar na lista.

Em apenas seis palavras, Roberto e Erasmo souberam condensar brilhantemente o que seria desenrolado nas seis estrofes da obra-prima dos dois: um complexo emocional em que se misturam saudade, certa dor de corno, algum desejo de vingança e muito amor mal cicatrizado” (Revista Rolling Stone, outubro 2009, p. 111.)

• Artista • Roberto Carlos

• Álbum • Roberto Carlos (1971)