Livro: O filho de mil homens

“Quem tem menos medo de sofrer, tem maiores possibilidades de ser feliz”

Valter Hugo Mãe é o meu vício literário neste início de 2019. Eu fico abismada com o tratamento dado a palavra por este autor português que parece dançar e entrelaçar com cada uma das frases que formam seus escritos.

Se em A desumanização ele trata da morte e de como ela afeta as pessoas, em O filho de mil homens ele fala da solidão, da desordem e de como a vida é capaz de transformar tragédias em bonitos dias, mesmo que, para isso, seja necessário abrir mão de algo pelo caminho. Ele fala de viver junto, da família que escolhemos. Da amizade, do amor. Continue lendo “Livro: O filho de mil homens”

Anúncios

Livro: A desumanização

“Acordei e pensei que não fazia sentido nenhum que a morte doesse”

Valter Hugo Mãe foi, com toda a certeza, a melhor descoberta deste 2019. Ao menos até o presente momento. Sua escrita é linda, poética, sensível e consegue nos tirar do lugar onde nos encontramos. O primeiro livro do autor português com o qual eu tive contato foi A desumanização, que se passa na Islândia e conta a história de Halla – a narradora –, uma menina de 11 anos que acabara de perder a irmã gêmea, Sigridur.

Em cada uma das páginas, nos são apresentados os relatos e os sofrimentos desta criança que se vê em meio a várias crises geradas por esta perda. É interessante perceber como a morte afeta as pessoas de diferentes formas. Continue lendo “Livro: A desumanização”

Livro: Objetos Cortantes

objet 01.jpg

Objetos cortantes é o livro que deu origem a série da HBO (Sharp Objects/2018). Este foi o primeiro livro que li da autora Gillian Flynn, que também escreveu Garota exemplar (Gone Girl), obra adaptada para o cinema, dirigida por David Fincher e estrelado por Rosamund Pike e Ben Affleck. O filme, assim como a série, é ótimo. Mas, é claro, os livros Continue lendo “Livro: Objetos Cortantes”

Livro do mês: Cem anos de solidão

cem ano 03

Cem anos parece ser o tempo que eu demorei para ler este livro de Gabriel García Márquez. Não porque ele seja ruim ou de leitura difícil, muito pelo contrário. O difícil, neste caso, é conseguir acompanhar as várias histórias que se passam. Vou explicar melhor.

Em Cem anos de solidão, livro publicado em 1967, Márquez conta a história de sete gerações da família Buendía, que viveu, e fundou, a cidade de Macondo. Então, de certo modo, a história e os acontecimentos da família se misturam aos acontecimentos da cidade. São narrados cem anos, como o próprio título já nos apresenta.

Macondo era então uma aldeia de vinte casas de pau a pique e telhado de sapé construídas na beira de um rio de águas diáfanas que se precipitavam por um leiro de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome, e para mencioná-las era preciso apontar o dedo. (p. 7)

É um pouco complicado Continue lendo “Livro do mês: Cem anos de solidão”

Livro: Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher

homemobjeto2

Pois é, terceiro livro indicado no mês. Quando decidi parar com as postagens diárias aqui no blog, sabia que alguma coisa boa aconteceria. Estou tendo mais tempo para ler e assimilar as coisas. Tudo bem que não foram livros densos, mas foram livros e ler é sempre uma excelente opção, independente do gênero. Portanto, leia. Qualquer coisa, mas leia.

Já havia indicado o livro Depois a louca sou eu, da Tati Bernardi, e hoje vou escrever sobre o Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher, livro lançado no início de 2018 e que nos apresenta Continue lendo “Livro: Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher”

Livro do mês: Depois a louca sou eu

depois a louca sou eu 2

Mês passado, eu fui na Bienal Internacional do Livro de São Paulo e tive a oportunidade de assistir a uma mesa muito foda, com Maria Ribeiro, Tati Bernardi e Fernanda Young. Eu já conhecia as produções da Maria e da Fernanda, mas a Tati, até então, eu só conhecia por nome. Nunca havia lido nada, apesar de já ter assistido a série e aos filmes Meu Passado Me Condena, mas eu não sabia que o texto era dela. Então, acho que eu a conhecia também, né? Enfim, você entendeu onde eu quero chegar. Na semana da bienal, sem saber que eu iria ao evento, comprei dois livros da autora: Depois a louca sou eu e Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher.

livros tati

Nestes dois livros, a Tati escreve crônicas. No segundo – que ainda estou lendo – ela apresenta uma coletânea  de crônicas que ela publicou no jornal Folha de S. Paulo. E, como vocês bem sabem, acho – se bem que nem devo ter comentado isso por aqui –, eu tenho lido e pesquisado muito sobre crônicas. Eu gosto muito deste gênero literário e, portanto, ter me encontrado com os textos da Tati foi uma grata surpresa. Continue lendo “Livro do mês: Depois a louca sou eu”

TAG Livros: Experiências Literárias

2

O livro apresentado neste mês aqui no blog, foi o livro enviado no mês de julho pela TAG Inéditos – Fique Comigo – uma das categorias de envio da TAG Livros.

A TAG Livros é um clube literário, em que uma vez por mês os associados recebem em casa um livro diferente, conforme a categoria escolhida. Para conhecer a TAG eu comprei, nos meses de maio e julho, os dois kits: o já citado TAG Inéditos, que é mais recente, chegando agora no mês de agosto em sua quinta edição, e a TAG Curadoria, que está disponível para assinatura desde 2014. Continue lendo “TAG Livros: Experiências Literárias”

Livro do mês: Fique Comigo

livro 3Fique Comigo foi, com certeza, o melhor livro que li neste ano, até agora. Eu o recebi no mês de julho, na caixinha da TAG Inéditos, do clube de livros TAG Experiências Literárias. Eu falarei um pouco mais sobre esta experiência de fazer parte de um clube do livro na semana que vem, fique atento às publicações do blog para não perder.

Pode até parecer, mas esse post não é pago (mas bem que poderia, né?)

Continue lendo “Livro do mês: Fique Comigo”