Make Movie 2017

20170425_070817Ano passado eu participei de uma promoção da página do Make Movie e ganhei o passaporte para participar do evento em 2017. Mas, por causa do trabalho (e também pela grana), eu não consegui participar de todos os dias do evento. E, para tentar aproveitar pelo menos um pouco, eu fui na abertura, dia 25 de abril, e assisti as palestras do primeiro dia do evento. Fiz poucos registros do dia, mas, com o que eu fiz, consegui editar um vídeo de 1 minuto. Que é este aí logo abaixo.

Em 2016 eu fui no Make Movie e foi uma das melhores experiências que eu pude vivenciar enquanto profissional. Neste ano, já foi ótimo, mesmo que tenha sido tão rápido.

Que venha o Make Movie 2018!

Anúncios

#roadtrip3

Demorou, mas saiu! Se nada der errado nas próximas três segundas teremos vídeos no canal! uhuuuu 🙂

Aproveitei o feriado prolongado para colocar todas as edições em dia e fiz três: a viagem para Abaeté (que vocês podem ver clicando no vídeo abaixo), a viagem para Caldas Novas (que será publicada na semana que vem) e, por fim, o vídeo do Make Movie.

Então, dê o play, assista ao vídeo todo e, se puder (e quiser) me siga lá no Youtube para não perder as próximas publicações.

=D

Dia 17

Ontem estive em São Paulo para participar do Make Movie 2017. O Make Movie é o congresso de audiovisual que acontece dentro do Wedding Brasil. Esta foi a terceira edição, e foi a segunda vez que participei do evento.

No ano passado eu participei de uma promoção da página do Make Movie, no Facebook, e ganhei o ingresso para participar do evento, que acontece até o dia 27 de abril.

(Fotos: Isabella Marques/Arquivo Pessoal)

IMG_20170425_064436_226

Mas, por motivos vários, não conseguiria participar, e ficar em SP, durante os três dias, então, optei por fazer um bate-volta e aproveitar ao menos o primeiro dia do evento.

Saí de Divinópolis às 22h de segunda-feira, dia 24, e cheguei em São Paulo no dia 25, às 6h da manhã. Foi a segunda vez que fui para São Paulo, e a primeira vez que viajei sozinha. Deu um frio na barriga, mas fui mesmo assim.

Chegando na rodoviária peguei um táxi, que me deixou na porta do Centro de Convenções do Anhembi. O bom é que o Anhembi fica muito próximo do terminal rodoviário do Tietê, onde eu desci. Poderia até ir à pé, mas, melhor não, né?

Enfim, cheguei lá e sentei para esperar a abertura dos portões, que aconteceu às 7h.

Entrei, fiz meu credenciamento e comecei a visitar os inúmeros stands.

IMG_20170425_083947_494

Ah, sim! Mas antes, precisei me recompor. Lavei o rosto, dei um tapa no visual e fui tomar café, e comer um pão de queijo.

Aí sim, depois disso estava preparada para enfrentar a maratona de palestras e networkings .

Então, visitei os stands, peguei muitos catálogos, cartões, testei equipamentos, comprei um item, orcei outros e fui para as palestras.

Selecionei seis, entre as que aconteceriam no dia, e fiquei entre o Palco Make Movie e o Núcleo de Vídeo.

IMG_20170425_083335_329

Por volta das 19h50 eu saí da última palestra do dia e parti rumo a rodoviária. De táxi, mais um vez. Quem me levou foi um senhor, que ficou preocupado e perguntou se eu já conhecia a rodoviária do Tietê, e eu disse que sim. Mas, de toda forma, ele me deixou em frente ao elevadores e disse: é só subir que você encontrará sua plataforma. Gracinha de pessoa. Tive sorte, porque os dois motoristas dos táxis que usei foram certinhos, e muito rápidos nos trajetos.

Chegando na rodoviária, comprei um livro (indicado neste vídeo pela Jout Jout), me sentei e esperei o ônibus que me traria de volta para casa. O bom é que, como é um livro de poesia (escreverei sobre ele em breve) li em uma hora e meia de boa, tranquila.

Às 21h40 nós partimos de São Paulo para Divinópolis.

Ao ligar dos motores, tomei meu último comprimido de Dramin, escolhi a playlist, peguei o fone de ouvido e voltei pra minha realidade.

Foi um dia muito bom, muito rico, absorvi ótimas informações, apesar de achar que os organizadores poderiam ter escolhido melhor os palestrantes, para o palco Make Movie, neste primeiro dia do evento.

Mas, de toda forma, perdi o medo de ir pra SP, já que minha primeira viagem, muito rápida, mas sozinha, deu certo e cheguei sã e salva na rodoviária  de divicity, quando o Thiago e o Tico já me aguardavam, às 5h10 da manhã de hoje.

Que venha o próximo evento. E pode ser em SP, ou em qualquer outro lugar.

🙂

Ps.: Em breve terá um vídeo sobre o evento, mas, enquanto ele não sai, veja o trecho que eu gravei durante a abertura do evento:

Carona: a mais grata viagem

No dia 30 de julho eu tive o prazer de participar das gravações do curta-metragem CARONA, como já contei neste post aqui. Mas, a viagem foi muito além daquele longínquo dia. Foram quase dois meses de edição para que, no último dia 6 de outubro, nós lançássemos o filme lá no auditório da UNA.

(Foto: Victor Tadeu/Divulgação)img-20161007-wa0009

E foi lindo.

Auditório cheio. Três exibições. Aplausos e muita gratidão pela oportunidade de participar de um projeto com tanto amor. E o amor foi compartilhado. Cerca de 150 brinquedos foram arrecadados neste lançamento.

20161010_085920.jpg

E hoje, dia 10 de outubro, foi dia de entregar os brinquedos para as crianças do Lar das Meninas. Ver a felicidade em cada rostinho foi muito gratificante. Além de receber os brinquedos, as crianças assistiram ao curta-metragem, em uma sessão especial em comemoração ao Dia das Crianças.

O Centro de Convivência Infantil Lar das Meninas é uma entidade sem fins lucrativos e atende cerca de 50 crianças, entre meninos e meninas, de 7 a 11 anos. Veja, abaixo, o vídeo da entrega dos brinquedos:

Ajude o Centro de Convivência Infantil Lar das Meninas:

(37) 3221–1338
Rua Fernão Dias, 710, Porto Velho.
Divinópolis, MG.

#roadtrip número um

Hoje publiquei no youtube um vídeo curtinho de uma viagem que fizemos (eu e meu marido Navicity. Nesta cidade, está enterrado o corpo de Padre Libério. Para muitos ele é um santo milagreiro e lá em Leandro Ferreira encontra-se enterrado, dentro da Igreja de São Sebastião, seus restos mortais. Neste ano, estes mesmos restos mortais foram exumados para  a sua beatificação. Lá, também, existe a Sala dos Milagres e um pequeno museu onde estão guardados alguns pertences do sacerdote.

Meu marido é muito devoto de Padre Libério e já foi , por duas vezes, caminhando em romaria até a cidade. É muito bonito poder acompanhar de perto toda esta devoção. E no dia desta viagem, em especial, era dia do aniversário dele.

bonus track:

14 segundos da Avenida Paulista 🙂

Até breve!! ❤

Carona!

Sim. As vezes aparecem oportunidades em nossas vidas que nós: ou aproveitamos para sair da zona de conforto ou continuamos de boas na zona de conforto fazendo a mesmo coisa sem ter nenhum desafio a enfrentar. Ontem eu escolhi a primeira opção.

Eu sou formada em Jornalismo. Então, de certa forma, todos os meus trabalhos envolvem mostrar ao mundo um pedaço da realidade, seja ela qual for. Seja escrevendo textos institucionais no trabalho, seja gravando novas etapas na vida das pessoas, como no caso dos vídeos sociais (casamentos, aniversários, etc.), seja compartilhando por meio deste blog o que penso e o que gosto. É assim.

carona_loucuras_intrepidas_making_of

Quando, há pouco mais de um mês, o diretor e roteirista Alisson Resende, da página Pipoca de Ouro, me convidou para participar do projeto de seu próximo curta-metragem achei uma ideia fantástica. Seria uma ótima oportunidade de experimentar novas formas de produção audiovisual. Nunca pensei em trabalhar com ficção, mas ontem senti a adrenalina de como podem ser estas produções.

Fotos Making Of: Cristiane Silva

carona_loucuras_intrepidas_divinopolis_mg_teclados_making_of_3

carona_loucuras_intrepidas_divinopolis_mg_teclados_making_of_2

carona_loucuras_intrepidas_divinopolis_mg_teclados_making_of

Fomos, todos nós: Alisson, Cristiane, Guilherme, Daniela, Júlio e eu, na coragem para fazer um filme com nenhuma grana e com toda a vontade do mundo. Foram muitos os desafios ao longo do dia. No fim, foi lindo. Deu tudo muito certo.

Após quase sete horas de gravação e backups feitos, tivemos a certeza de que fizemos o melhor; trabalhando com o que gostamos e desafiando a nós mesmos e nossos limites.

carona_loucuras_intrepidas_divinopolis_mg_interlagos

carona_loucuras_intrepidas_divinopolis_mg_lagoa_park_making_of

Depois do susto!

Aprendi muito e estou ansiosa para começar as edições e mostrar para o mundo o que nós fizemos aqui, nesta cidade do interior de Minas, com quase nada. O resultado vai ser muito, com certeza. Carona melhor que esta, impossível!!

http://picasion.com/
🙂

Make Movie 2016: uma experiência extraordinária

Nesta semana que passou, última do mês de abril, tive a oportunidade de participar como congressista do Make Movie, Congresso Brasileiro de Produção Audiovisual, que aconteceu no Anhembi Parque, em São Paulo.

3

1São Paulo, SP.

Esta oportunidade foi boa por três motivos: primeiro, conheci São Paulo e sua grandiosidade. Segundo, conheci pessoas incríveis (dentro e fora do congresso) e encontrei outras tantas que via apenas por uma tela de computador. Terceiro, puder receber muita informação sobre a produção do audiovisual e fotografia, não apenas de casamento. Aprendi sobre relacionamento, sobre criatividade, sobre respeito, entre tantas outras coisas. Aprendi sobre planejamento. Sobre tentar, errar e acertar. Aprendi a ver, observar, a ouvir. Me emocionei. Sim, chorei várias vezes, com vídeos tão simetricamente produzidos, com o áudio tão bem produzido e pensado para aquele filme (ou casal, ou história).

2Área de circulação e feira do Wedding Brasil/Make Movie. 

Foram três dias imersa num ambiente lotado de boas energias. O Make Movie, que é o palco audiovisual do Wedding Brasil, me proporcionou uma experiência única na vida, que eu nunca vou me esquecer.

5Duo Borgatto fala sobre moda e design aplicados nas fotografias de casamento, no Núcleo de Tecnologia.

Sem Título-1Bruno Baltarejo fala sobre a correção de cor em vídeo, no Núcleo de Vídeo. 

Saí de lá, no último dia, em estado de êxtase, lotada de ideias, pensando em como aplicá-las na realidade de uma cidade do interior de Minas Gerais, onde tudo está tão perfeitamente organizado dentro da caixa. Sair de dentro e pensar fora desta caixinha muitas vezes pareceu impossível, mas agora consigo enxergar inúmeras possibilidades. É uma esperança de mudança de comportamento e atitude.

4Última palestra do Make Movie, com Rodrigo Zapico.

É uma oportunidade de rever tudo o que foi feito até agora, perceber erros, destacar acertos e dar, a cada dia, passos à frente, sempre mirando na excelência do trabalho e conquista de novos espaços, e clientes.

6

Que venha o Make Movie 2017. Eu, com certeza, estarei lá.

Videojornalismo de casamento

Eu, como jornalista, achei interessantíssima esta ideia de “videojornalismo de casamento”. A ideia é boa porque sai da mesmice dos roteiros tradicionais e da forma de filmar o casamento. Pensando numa narrativa com este princípio, o cinegrafista filma a emoção e a história por trás dos olhares, e até mesmo das lágrimas. O intuito é transformar aquele momento num documento histórico – para os noivos, para a família – assim como deve ser o jornalismo.

Conheci este termo através do trabalho do Pepê Figueroa. Os vídeos, a forma de gravar, é tudo feito com muito cuidado.

Enfim, depois de assistir a vários vídeos do Pepê, comecei a pesquisar outros profissionais que tivessem este mesmo intuito, de contar a história do casal através de imagens e depoimentos. Assim, eu encontrei o Edu Corrêa, que tem vasta experiência não apenas com vídeos de casamento. Mas, percebe-se que, ao assistir, mesmo com todo o zelo e primor da qualidade das imagens, em nenhum momento a emoção da cerimônia ou da festa é deixada de lado, pelo contrário, é ingrediente essencial e primordial. Talvez este seja um dos segredos.

Outra que me chamou a atenção pela qualidade do trabalho e inovação neste segmento foi a produtora de Vinicius Credidio, que também tem uma vasta experiência, inclusive fora do Brasil. Em seu site diz o seguinte “Hoje é possível afirmar que Vinicius Credidio é uma grife que revolucionou a idéia do ‘video-de-casamento’ e transformou o simples registro em documentários personalizados”, e é bem isso mesmo.

Para chegar a este patamar é preciso muito estudo, empenho e pesquisa. É preciso muito refinamento desde o manuseio do equipamento até a edição e entrega do vídeo. “O registro de vídeo vai muito além de apenas cenas em movimento. As imagens capturadas têm a força para contar uma história em quadros, através de luz, cores e sons. Talvez essa história será melhor compreendida daqui há 20 anos, quando o “video” de casamento será visto como “um filme” da memória  daquela família”, explica Vinicius em seu site.


Este, com toda certeza, será o futuro dos vídeos de casamento e é com muito estudo, e prática, que eu pretendo, aos poucos, ir conseguindo este refinamento.

Para saber mais sobre os profissionais citados no texto, é só clicar sobre seus nomes nos hiperlinks.

🙂